A luta é histórica e diária

Não se trata de ficção, o sofrimento causado pela ignorância está registrado historicamente no instinto masculino, não podendo ser negado em hipótese alguma. A figura feminina foi retratada por longos anos como sendo frágil, incapaz e invisível diante de inúmeros descasos absurdamente aceitos socialmente por justificativa baixa de argumentos infundados sobre papéis e deveres sociais atribuídos impositivamente a questões de gênero.

Dia Internacional da Mulher

Intitulada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1975, a data 8 de março tem como objetivo homenagear as conquistas políticas e sociais das mulheres. Geralmente o dia 8 de março é associado à ideia de que mulheres necessitam ser presenteadas, mas a origem da homenagem nesta data está atrelada a luta por meio de atos da manifestação de mulheres no século XX que trabalhavam em fábricas e reivindicavam condições de trabalho nos Estados Unidos da América (EUA) e alguns países europeus. No entanto, existem outras correntes históricas que apontam causas das mulheres nos movimentos de trabalhadores.

No Brasil as mulheres só passaram a ser reconhecidas no mercado de trabalho após conquistar o direito do voto em 1932, época do governo Getúlio Vargas. De acordo com o Art. 5 º da atual constituição da república em seu primeiro (1) inciso: “homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações”. Mas se pararmos para refletir, na prática isso acontece?

O pensamento de que o homem é responsável por trabalhar, trazer o sustento da casa, ser bem tratado sempre, encontrar tudo pronto porque está cansado, e a mulher tem o dever de cuidar dos afazeres domésticos e dos filhos é conservador. Atualmente mulheres ainda adiam projetos como casamento e maternidade por conta da visão de uma sociedademachista que necessita rever seus conceitos.

Em busca da igualdade

A manutenção em cargos públicos é constante e o trabalho desempenhado deve ter o objetivo de contribuir positivamente para o funcionalismo dos órgãos e instituições. A Secretaria Municipal da Saúde (Semus) funciona através da labuta de muitos(a) colaboradores e servidores.

Entre cargos comissionados, direção e coordenação tanto na sede da semus quanto nos Centros de Saúde da Comunidade e UPA’s, 2.821 colaboradores, servidores e prestadores de serviço estão envolvidos(a). Entre esses cargos, 1.875 são ocupados por mulheres e 946 por homens. Isto significa que 66,47% dos postos de trabalho são compostos por mulheres e 33,53% de homens. Na Prefeitura de Palmas 7.559 (64,70%) dos cargos são desempenhados por mulheres e 4.325 (35,30%) por homens.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

De acordo com informações do IBGE a igualdade de gênero e empoderamento feminino estão entre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), os quais fazem parte de um planejamento com propósito de a serem efetuados até 2030 por 193 países que integram a Organização das Nações Unidas (ONU).

Marttha Franco Ramos, Secretária Executiva de Saúde de Palmas e Conselheira Federal de Farmácia

FAÇA SEU COMENTÁRIO