Jornada de aceleração ensina como transformar pesquisas científicas em negócios

Na segunda-feira, 23, será lançado o edital do Catalisa durante a 30º Conferência da Associação Nacional de Entidades promotoras de empreendedorismo inovadores

Projeto Catalisa pode tornar o potencial das pesquisas em um negócio inovador visando o desenvolvimento econômico e social e desta forma o objetivo é aproximar a academia do mercado. Desta forma será oferecido uma jornada de aceleração aos pesquisadores a fim de proporcionar capacitação em gestão, mentorias, fomento a projetos e acesso ao universo empresarial. A iniciativa articulada pelo Sebrae nacional, conta com o apoio do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e do incentivo do Governo do Tocantins por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do To (Fapt). (continua abaixo)

Na segunda-feira, 23, será lançado o edital do Catalisa durante a 30º Conferência da Associação Nacional de Entidades promotoras de empreendedorismo inovadores (Anprotec). Podem participar do chamamento, mestres, doutores titulado a partir de 2016 com diploma reconhecido no país que querem implementar planos e projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação que resultem na criação de negócios inovadores e gerar negócios inovadores e transferência de tecnologia.

As inscrições do edital podem ser feitas até 24 de janeiro de 2021 e os selecionados vão ter a oportunidade de participar de uma jornada de empreendedorismo tecnológico, da bancada de pesquisa até o mercado. Além disso vão participar de capacitações on-line específicas. Pesquisadores das áreas de ciências exatas, agrárias, engenharias e ciências da saúde pode participar pois o único requisito é a apresentação de proposta inovadora.

O Projeto Catalisa ICT vai selecionar mil pesquisas inovadoras, 270 planos de inovação, 135 projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação e 130 pesquisadores atuarão diretamente em micro e pequenos negócios. De forma geral, o projeto estabelecerá uma jornada de aceleração e fomento ao pesquisador da academia ao mercado, compreendendo gates de seleção com base em critérios de mérito quanto ao potencial de inovação da pesquisa.

A jornada terá quatro etapas: mobilização, capacitação, desenvolvimento e três e tração. Ao longo desse processo de capacitação por meio de editais, os participantes submetem planos de inovação a serem fomentados como pessoas físicas e na sequência, projetos de inovação como pessoas jurídicas. Toda a jornada é norteada por problemas e desafios identificados no mercado e na sociedade.

Para o presidente da Fapt, Márcio Silveira, é de fundamental importância a aproximação do conhecimento científico do empreendedorismo. “Temos que valorizar não só a produção de conhecimentos dos acadêmicos, mas favorecer uma conexão efetiva com as empresas que buscam soluções inovadoras em suas cadeias produtivas.  Geralmente os pesquisadores almejam somente a carreira docente, por falta de oportunidade no mercado empreendedor e por isso não podemos perder o potencial desse público. Desta forma incentivo a participação de todos os pesquisadores na jornada e no edital promovido pelo Sebrae”, ressaltou Silveira.

Workshop de inovação

Já no dia 26 de novembro, todos estão convidados em participar do catalisa ás 15h por meio da plataforma zoom. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo link: https://bit.ly/workshopCatalisaICT. Mais informações sobre o Catalisa pode ser adquirida também pelo site https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/catalisa#faqcatalisa.

“O evento irá apresentar a estratégia do SEBRAE nacional para apoiar projetos inovadores. O que representa uma oportunidade de inserir no mercado, projetos importantes que estão na academia, mas que ainda necessitam de mais apoio para ter sucesso no mercado”. Rogério Maracaípe analista técnico do Sebrae Tocantins.

FAÇA SEU COMENTÁRIO