Casos confirmados de dengue reduzem mais de 50% no início deste ano na capital

O trabalho de combate ao mosquito tem sido contínuo em Palmas

Palmas registrou diminuição de casos confirmados e notificações de dengue, doença causada pelo mosquito Aedes aegypti, nos primeiros meses de 2021. Os dados são do Monitoramento Semanal de Arboviroses da Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus) que verificou uma redução de 50,28% de confirmações. De 1º de janeiro a 4 de abril foram confirmados 86 casos, bem menos que os 173 casos confirmados no mesmo período de 2020. (continua abaixo)

Conforme o monitoramento, os casos notificados também sofreram redução, neste caso de 37,59%. Foram 899 casos de dengue notificados em 2020 para 561 este ano.

Para o gerente da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses (UVCZ), Auriman Cavalcante, a redução está ligada ao cuidado que a população tem tido em seus quintais, concomitante ao trabalho dos agentes de Endemias da UVCZ e a não circulação de tipos de vírus da dengue na cidade.

“A população trabalhou efetivamente na limpeza de seus quintais neste período [de pandemia] em que muitas pessoas estão em casa e o trabalho dos agentes também continuou. Outro motivo foi que tivemos apenas um dos quatro tipo de vírus da dengue circulando em Palmas, conforme amostras analisadas pela UVCZ”, afirma o gestor. (continua abaixo)

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz, há quatro tipos de vírus da dengue: Den-1, Den-2, Den-3 e Den-4. Eles são da mesma família do vírus que causa a febre amarela, e tanto a dengue quanto a febre amarela são transmitidas pelo mesmo mosquito, o Aedes aegypti. O único tipo de vírus encontrado em Palmas foi o Den-2.

Manutenção dos cuidados

O gerente lembra que a população deve continuar cuidando do quintal e prevenindo a proliferação de focos do mosquito. “Sempre orientamos que as pessoas separem ao menos dez minutos semana para fazer a vistoria nos quintais. O tempo é suficiente para checar se há focos do mosquito e prevenir as doenças causadas por ele, uma vez que esta ação simples interrompe o ciclo de vida do mosquito”, alerta Cavalcante.

O trabalho para combater o mosquito também tem sido contínuo com as equipes de outras pastas como Infraestrutura, Guarda Metropolitana, Desenvolvimento Urbano e Serviços Regionais que, em conjunto com os agentes de Endemias da UVCZ, realizam vistorias nos estabelecimentos comerciais, visitas domiciliares para detecção, remoção e/ ou eliminação de criadouros, além das visitas aos imóveis de imobiliárias, e a ainda há o ingresso forçado em imóveis fechados e/ ou abandonados, seguindo legislação pertinente.

Dicas de prevenção:

1 - Limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado;

2 - Retirar água dos pratos de plantas;

3 - Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;

4 - Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que sirva para reservar água;

5 - Manter os quintais bem varridos, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas, sacolas plásticas, copos plásticos, latas, dentre outros.

FAÇA SEU COMENTÁRIO