Mais três suspeitos são presos por envolvimento em morte de funcionário de fazenda

Polícia Civil prendeu mais três suspeitos de participação na morte de Lindomar Cardoso Vieira, em 6 de fevereiro, em Palmeirante.

Na tarde desta terça-feira (9), uma força-tarefa realizada por policiais civis da Delegacia Estadual de Repressão a Conflitos Agrários (DERCA), com apoio de agentes da 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Araguaína, resultou na prisão de mais três suspeitos de participação na morte de Lindomar Cardoso Vieira, em 6 de fevereiro, em Palmeirante. O crime foi motivado por disputa de terras no local.

De acordo com o delegado Pedro Ivo Costa Miranda, R.M.A, de 44 anos, considerado o autor intelectual do crime, e F.J.F.S, de 47 anos, foram capturados, mediante cumprimento a mandados de prisão preventiva, quando se encontravam em um acampamento nas imediações da fazenda onde a vítima foi assassinada, na zona rural de Palmeirante. “Após descobrir que os dois indivíduos tinham efetivo envolvimento na morte de Lindomar, representamos pela prisão dos dois, juntamente com um terceiro indivíduo de iniciais D.M, preso na cidade de Santa Fé do Araguaia”, disse o delegado.

Ainda segundo a autoridade policial, as investigações da Polícia Civil apontaram que D.M teria sido o responsável por efetuar o disparo de arma na vítima, que não resistiu à gravidade dos ferimentos e veio a óbito. “Nossas investigações apontaram que o crime foi motivado por vingança entre posseiros e o dono da referida fazenda, que é alvo de uma disputa judicial que se arrasta há décadas, sendo que os autores haviam sido expulsos da propriedade rural, mediante ordem judicial e, inconformados, teriam armado uma emboscada para a vítima”, frisou.

Também nesta terça-feira, os policiais civis da DERCA foram até a Casa de Prisão Provisória de Araguaína - CPPA, onde deram cumprimento a três mandados de prisão preventiva contra três homens que já haviam sido presos, pela Derca, na semana passada, também por participação no homicídio de Lindomar e cumpriam prisão temporária.

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, D.M, F.J.F.S e R.M.A foram recolhidos à CPPA, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

FAÇA SEU COMENTÁRIO