Prefeitura revoga concessão de show após ofensas a mulheres, índios e religiosos

Numa prévia do show chamado "A Arte do Bullyng" o comediante ofendeu, mulheres de Palmas com compará-las com piranhas

A Prefeitura de Palmas revogou a concessão para a realização do show "A Arte do Bullyng", do comediante Léo Lins, marcado para esta sexta-feira, dia 12 no Teatro Fernanda Montenegro, na capital do Tocantins.

O cancelamento, do show, que já estava com todos os ingressos vendidos, veio dias depois de o comediante postar em suas redes sociais o que seria uma prévia do espetáculo politicamente incorreto, que segundo a prefeitura ofende diversas minorias e se refere a Palmas e seus moradores de maneira pejorativa.

No vídeo Lins afirma que a pedra de crack foi lançada em 1995, no setor Taquari, bairro pobre do sul da cidade. Em seguida ele fala sobre as tribos indígenas Xavante e Kaiapó que habitavam a região e que segundo ele "não plantavam nem caçavam. Passavam o dia inteiro fazendo a dança da chuva". Ele diz ainda que nas praias de Palmas podem haver "ataques de piranhas, dentro e fora d'água", o que para alguns configura ofensa às mulheres. Ao falar sobre o calor de Palmas, o comediante afirma que além de ser o centro geodésico do Brasil, a cidade também seria "o centro geodésico do inferno", o que irritou muitos evangélicos.

Política

O comediante também faz piada sobre vários políticos, como o ex-governador Siqueira Campos e o governador Mauro Carlesse falando sobre denúncias e comparando o atual gestor a um camaleão, falando até da sua esposa. O comediante fala ainda das denúncias de servidores fantasmas no gabinete do deputado Valdemar Júnior e até a Prefeita Cinthia Ribeiro é citada no fim do vídeo, quando ele afirma que diferentemente da Prefeita ele espera "não ser vaiado no próprio show".

Segundo os produtores do show, eles já estão buscando um outro local para a realização do espetáculo.

FAÇA SEU COMENTÁRIO