Seis suspeitos de integrar associação criminosa são presos pela Polícia Civil

Dinheiro e demais objetos apreendidos pela Polícia Civil em poder de suspeitos

Em continuação às ações de combate à criminalidade em geral, a Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia de Barrolândia, deflagrou, nesta terça-feira (17), uma operação policial que resultou na prisão de seis pessoas suspeitas de integrar uma associação criminosa responsável por comercializar e distribuir drogas na referida cidade.

Segundo o delegado Aldo Schwanck, as investigações tiveram início ainda no ano de 2017 e tinham por objetivo apurar os crimes de tráfico de drogas na cidade. “Com base nos indícios colhidos fizemos a representação pela prisão das cinco pessoas que estavam diretamente envolvidas no crime ora investigado e que seriam responsáveis por movimentar grande quantidade de entorpecentes na cidade de Barrolândia”, disse o delegado.

De posse das ordens judiciais, os policiais civis iniciaram a ação e deram cumprimento aos mandados de prisão de um casal, que também integrava a associação criminosa. Em seguida, outra equipe da DPC de Barrolândia localizou e também efetuou a prisão de outro indivíduo.

 Em ação simultânea, os policiais civis foram até a residência de outro envolvido na associação criminosa e, após o cumprimento de buscas, localizaram e apreenderam no interior da residência dos suspeitos várias porções de crack, maconha, tudo já devidamente embalado e pronto para ser vendido, bem como mais de R$ 1 mil reais, dinheiro esse proveniente do tráfico de drogas.  Desse modo, o homem também foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Logo em seguida, os policiais civis foram até a Cadeia Pública de Barrolândia, onde cumpriram dois mandados de prisão em desfavor de dois indivíduos que já se encontravam presos pela prática de outros crimes. Ao mesmo tempo, uma equipe da Delegacia de Polícia de Lagoa da Confusão efetuou, naquela cidade, a prisão de uma mulher que também é suspeita de integrar a referida associação criminosa.

Todos os presos foram conduzidos à sede da Delegacia de Polícia Civil de Barrolândia e, após os procedimentos legais cabíveis, foram encaminhados à Cadeia Pública da cidade. As duas mulheres foram recolhidas nas unidades prisionais femininas de Palmas e Lajeado. Todos permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

FAÇA SEU COMENTÁRIO