PALMAS

AGRONEGÓCIO

1ª etapa da campanha contra a febre aftosa atinge 99,37% do rebanho

Governador divulgou o resultado da vacinação que atingiu quase 100% do rebanho bovino tocantinense que segundo os números houve crescimento.

Publicado em

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) divulgou nesta sexta-feira, 17, o resultado da 1ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa no Tocantins, ocorrida de 1º a 31 de maio deste ano. Foram vacinados 8.509.886 animais ou 99,37% do rebanho bovino tocantinense, além de 6.716 bubalinos (99,54% do rebanho). Os índices declarados de vacinação estão mais uma vez acima da meta estabelecida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que é de 90% do rebanho total do Estado.

 

Esta primeira etapa de 2016 superou a primeira etapa da campanha do ano passado, quando foram vacinamos 99,26% do rebanho. “Isso mostra o engajamento cada vez maior de nossos produtores com a imunização do rebanho. Com isso, garantimos 19 anos sem febre aftosa no Tocantins, o que permite vislumbrarmos a liberação total da vacinação e também a conquista de novos mercados para a nossa carne”, comemora o presidente da Adapec, Humberto Viana camelo.

 

A vacinação envolveu 56.268 propriedades rurais nos 139 municípios tocantinenses, sendo que 34 alcançaram o índice de 100% de seus rebanhos vacinados. De acordo com o responsável técnico pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa, Márcio Rezende, o trabalho agora é localizar os animais que não foram vacinados no período de campanha. “Vamos localizar as propriedades, notificar e autuar os proprietários e depois realizar a vacinação acompanhada por técnicos da Adapec, para que nenhum bovino ou bubalino fique sem a vacina”, diz Márcio Rezende.

Leia Também:  Governo do Tocantins realiza projeto Rota da Pecuária para alavancar setor no Estado

 

Os números também mostram crescimento do rebanho tocantinense de bovídeos. No ano passado eram 8.185.721 e este ano o número subiu para 8.563.591 (4,6% a mais). Entre os municípios com o maior número de animais estão Araguaçu com 360.288, Formoso do Araguaia com 230.778, Araguaína com 230.468, Peixe com 216.223 e Sandolândia com 181.236 animais.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

AGRONEGÓCIO

Agropecuaristas e parceiros destacam importância da Rota da Pecuária para os produtores rurais tocantinenses

Published

on

Na quinta parada da Rota da Pecuária, na tarde dessa quinta-feira, 30, na Fazenda Boa Fortuna, localizada no município de Pium, agropecuaristas e parceiros destacaram a importância da Rota da Pecuária para o desenvolvimento da pecuária tocantinense. A fazenda abate anualmente 20 mil cabeças de gado, que são criados no sistema ciclo completo (cria, recria e engorda), e exporta 100% da carne para a China, empregando 90 funcionários.

Para o coordenador de agronegócio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), José Daniel Tavares, a Rota da Pecuária é uma iniciativa louvável do Governo do Tocantins para o incentivo à pecuária tocantinense. “Isso possibilita ao produtor agregar e aumentar a produtividade no agronegócio. O Sebrae é parceiro da Secretaria da Agricultura no programa Mais Genética, levando novas tecnologias para o produtor, visando à alta produção no campo”, destacou.

Para o diretor da Fazenda Boa Fortuna, Ronaldo Rabelo, que trabalha na fazenda deste o início da implantação das tecnologias, a chegada do pivô e o confinamento possibilitaram triplicar a capacidade de produção da fazenda. “E a Rota da Pecuária vem fortalecer ainda mais, mostrando e apresentando novas tecnologias para o incremento da agropecuária”, ressaltou.

Leia Também:  Campanha contra febre aftosa segue até 31 de maio

De acordo com a coordenadora comercial da empresa Frísia, Erica Lima, essa é uma ação que mostra, na prática, a realidade que temos de tecnologia e inovação. “É muito importante o produtor estar inserido nesta iniciativa. E a Frísia não poderia estar de fora, estamos consolidados e, em breve, investiremos na pecuária de corte”, afirmou.

A agropecuarista da região do Bico do Papagaio, Maria Vilela, uma das pecuaristas que acompanham as atividades de campo, explicou: “Vim participar deste projeto pecuarista muito importante. Aqui, estamos vendo tecnologia simples e avançadas, ou seja, descobrindo uma nova pecuária aqui no Tocantins”, detalhou.

Já a proprietária das fazendas Trevo, Inara Mota Machado, que utiliza o sistema de produção Integração Lavoura Pecuária (ILP), “essa ação da Secretaria da Agricultura, de incentivar aos produtores, motiva ainda mais a buscar a inovação tecnológica e a estruturação da fazenda para aumentar a produtividade no campo”. 

Fonte: Agro – GOV TO

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA