PALMAS

AGRONEGÓCIO

Adapec inicia os preparativos da campanha contra aftosa e brucelose

A vacinação contra febre aftosa é realizada uma vez por ano na Ilha, na época da seca, por causa das características geográficas, já que o período chuvoso é extenso.

Publicado em

As estratégias da agulha oficial contra a febre aftosa na Ilha do Bananal já foram definidas pela Agência de Defesa Agropecuária (Adapec). A partir do dia 10 de julho, os técnicos estarão na região para notificar os indígenas e produtores rurais sobre os procedimentos da campanha, que será realizada entre os dias 1º de agosto a 30 de setembro. A expectativa é vacinar mais de 90 mil bovinos e bubalinos, em 335 retiros cadastrados.

 

As equipes da Adapec dos municípios de Sandolândia, Lagoa da Confusão e Formoso do Araguaia, nesse primeiro momento, farão a entrega da carta mensagem com orientações sobre apreensão de animais, aquisição da vacina, vacinação, trânsito e declaração da vacinação. “Todas as informações serão repassadas, para iniciarmos a vacinação do rebanho mantendo nosso status sanitário, livre da aftosa com vacinação”, afirmou o presidente da Adapec, Humberto Camelo, acrescentando que o governo do Estado custeará a vacinação do rebanho dos indígenas, com a aquisição de 18 mil doses da vacina.

 

Leia Também:  Governo assina termo de Cooperação que fortalece setor agropecuário

A vacinação contra febre aftosa é realizada uma vez por ano na Ilha, na época da seca, por causa das características geográficas, já que o período chuvoso é extenso. “Na região, a criação de gado é praticada de forma extensiva em grandes retiros ou solta na pastagem natural de Canarana o que torna o trabalho árduo e o acesso difícil, mas temos uma equipe comprometida e produtores rurais conscientes que colaboram com o sucesso da vacinação anual”, destaca a gerente de sanidade animal da Adapec, Michelly Shuailla. 

 

Durante a campanha, os animais criados soltos após serem vacinados serão identificados através de um corte nos pelos da vassoura da cauda. Todas as propriedades rurais serão georreferenciadas e aplicado questionários, visando observar o tipo de criação, estrutura, manejo sanitário, entre outros.  A declaração da vacinação é feita de imediato, já que é realizada pelo serviço oficial.

 

Na região confrontante ao estado de Mato Grosso, a vacinação dos animais ficará na responsabilidade do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado do Mato Grosso (Indea). Em 2015, a Adapec vacinou 84.305 animais e o Indea 8.938 animais.

Leia Também:  Expositores cultivam vitrines de sementes de grãos com qualidades produtivas para a Agrotins 2022

 

Vacinação brucelose

Na Ilha, simultaneamente será intensificada a campanha de vacinação contra a brucelose, que iniciou no dia 1º julho e segue até 31 de outubro, onde serão vacinadas as bezerras de 3 a 8 meses de idade com a cepa B19 ou cepa RB 51, ficando a critério do produtor, conforme as medidas da Portaria nº 279 de 31 de julho de 2014. A vacinação também será realizada pelos técnicos da Adapec. 

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

AGRONEGÓCIO

Agropecuaristas e parceiros destacam importância da Rota da Pecuária para os produtores rurais tocantinenses

Published

on

Na quinta parada da Rota da Pecuária, na tarde dessa quinta-feira, 30, na Fazenda Boa Fortuna, localizada no município de Pium, agropecuaristas e parceiros destacaram a importância da Rota da Pecuária para o desenvolvimento da pecuária tocantinense. A fazenda abate anualmente 20 mil cabeças de gado, que são criados no sistema ciclo completo (cria, recria e engorda), e exporta 100% da carne para a China, empregando 90 funcionários.

Para o coordenador de agronegócio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), José Daniel Tavares, a Rota da Pecuária é uma iniciativa louvável do Governo do Tocantins para o incentivo à pecuária tocantinense. “Isso possibilita ao produtor agregar e aumentar a produtividade no agronegócio. O Sebrae é parceiro da Secretaria da Agricultura no programa Mais Genética, levando novas tecnologias para o produtor, visando à alta produção no campo”, destacou.

Para o diretor da Fazenda Boa Fortuna, Ronaldo Rabelo, que trabalha na fazenda deste o início da implantação das tecnologias, a chegada do pivô e o confinamento possibilitaram triplicar a capacidade de produção da fazenda. “E a Rota da Pecuária vem fortalecer ainda mais, mostrando e apresentando novas tecnologias para o incremento da agropecuária”, ressaltou.

Leia Também:  Seagro realiza reunião com os órgãos federais para apresentar o projeto da Agrotins 2022

De acordo com a coordenadora comercial da empresa Frísia, Erica Lima, essa é uma ação que mostra, na prática, a realidade que temos de tecnologia e inovação. “É muito importante o produtor estar inserido nesta iniciativa. E a Frísia não poderia estar de fora, estamos consolidados e, em breve, investiremos na pecuária de corte”, afirmou.

A agropecuarista da região do Bico do Papagaio, Maria Vilela, uma das pecuaristas que acompanham as atividades de campo, explicou: “Vim participar deste projeto pecuarista muito importante. Aqui, estamos vendo tecnologia simples e avançadas, ou seja, descobrindo uma nova pecuária aqui no Tocantins”, detalhou.

Já a proprietária das fazendas Trevo, Inara Mota Machado, que utiliza o sistema de produção Integração Lavoura Pecuária (ILP), “essa ação da Secretaria da Agricultura, de incentivar aos produtores, motiva ainda mais a buscar a inovação tecnológica e a estruturação da fazenda para aumentar a produtividade no campo”. 

Fonte: Agro – GOV TO

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA