PALMAS

AGRONEGÓCIO

Agronegócio emprega cerca de 19 milhões de pessoas no Brasil

16% dos trabalhadores estão ligados a atividades com grãos e 12% ao café. A bovinocultura, de corte e leite, predomina com 65% da força de trabalho.

Publicado em

AGRONEGÓCIO

O agronegócio emprega cerca de 19 milhões de pessoas no Brasil, correspondente a quase 10% da população brasileira, sendo aproximadamente 9 milhões de pessoas apenas no setor primário, estima um estudo do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). O chamado “dentro da porteira”, que envolve diretamente as lavouras, emprega outras 4,12 milhões na agroindústria, 5,67 milhões no setor de serviços para o agronegócio e 228 mil no setor de insumos. Os números são referentes ao ano de 2015 e não incluem atividades de subsistência, para consumo próprio.

 

No segmento primário do agronegócio, 16% dos trabalhadores estão ligados a atividades com grãos e 12% ao café. No setor primário da pecuária, a bovinocultura, de corte e leite, predomina com 65% da força de trabalho. Por outro lado, o agronegócio ainda apresenta significativo grau de informalidade, principalmente no setor primário.

“Apesar do grande número de pessoas ocupadas no segmento primário do agronegócio, ainda é elevada a parcela sem carteira assinada”, ressalta o estudo do Cepea.

Leia Também:  Governo do Estado anuncia a realização de nova edição da Agrotins 100% Digital

 

Segundo a pesquisa, 36% dos empregados possuem carteira assinada no agronegócio como um todo, enquanto 33% atuam por conta própria. Outros 15% são empregados sem carteira assinada, enquanto 4% são empregadores. Os demais 12% são de trabalhadores domésticos, familiares ou militares. Na indústria e no setor de insumos, a participação dos trabalhadores informais é menor, e os empregos de carteira assinada representam a maioria.

 

A pesquisa do Cepea também calculou a média de salário para o agronegócio, que ficou em R$ 1.499 em 2015. O setor que paga melhor é o de insumos, com salário médio de R$ 2.331. Os menores salários encontram-se no setor primário — de R$ 998 mensais na pecuária e R$ 891 na agricultura.

 

O Cepea destaca ainda a expressiva a concentração de trabalhadores de baixa escolaridade no agronegócio. Quase 60% da força de trabalho não iniciou o ensino médio, um percentual que salta para mais de 80% no setor primário.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

Ruraltins formaliza parceria para desenvolver programa na região norte

Publicados

em

O presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Fabiano Miranda, acompanhado do diretor de Tecnologia, Ciência e Inovação, Kin Gomides, visitou na sexta-feira, 17, o Centro Universitário Tocantinense Presidente Antônio Carlos (Unitpac), em Araguaína. Recepcionados pela reitora Carla Cristina Madeira de Azevedo e equipe, a visita teve como finalidade formalizar e ampliar termo de parceria entre as instituições, objetivando o desenvolvimento de um programa de pesquisa e transferências tecnológicas voltado para o setor agrícola da região.

Conforme o coordenador de Pesquisa da Universidade, Athila Damasceno, a parceria com a instituição e o órgão rural já acontece há mais de dois anos, por meio do Escritório Local de Araguaína. “O objetivo de hoje é justamente formalizar essas ações e principalmente discutir estratégias para ampliar ainda mais essa parceria”, afirmou.

Para a ampliação dessa parceria, a proposta é estruturar, dentro da universidade, um centro de treinamento tecnológico para as atividades de capacitação tanto de alunos quanto de técnicos do órgão e de produtores rurais, e também um planejamento de atividades em conjunto, como a realização dias de campo, cursos de pós-graduação e instalações de Unidades de Referência Tecnológicas (URTs).

Leia Também:  Governo do Estado anuncia a realização de nova edição da Agrotins 100% Digital

Para o presidente Fabiano Miranda, “esse programa será pioneiro para a região norte, onde uma universidade está aberta para trazer o técnico e produtor para dentro da instituição, objetivando a geração de plataformas de pesquisas agropecuárias para região”.

Na oportunidade, foi apresentado, à equipe, o curso de agronomia para que faça parte do projeto-piloto deste Termo de Cooperação, e também discutidos os pontos fortes para a parceria, de como pretendem trabalhar as atividades, focando na questão da pesquisa e da extensão.

Também participaram da reunião o coordenador do curso de agronomia, Felipe Bitencourt; o pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão, Inovação e Internacionalização, Carlos Cicinato; e o coordenador de Pesquisa, Athila Damasceno, e do Ruraltins, o supervisor Regional Rolston Oliveira Pereira, Chefe do escritório Local Armando Alves Nunes e equipe.

Parceria foi firmada entre o gestor Fabiano Miranda e a reitora Carla Madeira –

Durante o encontro, equipe visitou as instalações da universidade –

Proposta é estruturar, dentro da universidade, em parceria com o órgão rural, um centro de treinamento tecnológico para as atividades conjuntas –

Leia Também:  Ruraltins participa da campanha Setembro Amarelo contra o suicídio

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA