PALMAS

OPÇÕES

Kátia vai ter que decidir: reeleição ou candidatura a federal

Publicado em

Blog do Márcio Rocha

Azedou

Depois que o apoio do PP da senadora Kátia Abreu para o Tribunal de Contas da União azedou na semana passada a senadora por dois mandatos terá que decidir entre disputar uma reeleição muito difícil ou ir para uma candidatura mais fácil a deputada federal.

Ausente

O partido de Kátia esperava que ela fosse até a CPI da Covid para dar apoio ao líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, que também é do partido, o que não ocorreu.

Suplente

Além disso, Kátia já enfrentava dificuldades devido ao seu primeiro suplente, Donizeti Nogueira, do PT, partido arqui-inimigo de Jair Bolsonaro (sem partido), responsável por sua possível indicação.

Engenharia

A solução que vinha sendo construída era convencer Nogueira a renunciar e deixar espaço para o segundo suplente, Guaracy Silveira, e assim, viabilizar a ida de Kátia ao TCU.

Opções

Agora, com a vaga no TCU fora de cogitação, a senadora terá que optar entre uma difícil disputa à reeleição para o terceiro mandato seguido e um vaga praticamente garantida na câmara federal, a exemplo do que fez a ex-senadora e agora deputada federal Gleisi Hoffman (PT).

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Marcelo quer ser candidato ao Senado, mas Brito quer volta ao Palácio
Propaganda

Blog do Márcio Rocha

Mais do que mandato, prioridade de Carlesse é eleger sucessor(a) em 2022

Publicados

em

Pergunta I

Alguém em sã consciência acredita que o Governador Mauro Carlesse (UB) está realmente apostando suas fichas na possibilidade de um terceiro mandato consecutivo?

Vedação

Para se ter uma noção do quanto a lei veda tal possibilidade, os vices sequer assumem o posto de titulares por um dia seis meses antes da eleição quando almejam disputar o posto.

Justiça

O Tribunal Superior Eleitoral, Superior Tribunal de Justiça e o Supremo Tribunal Federal já rechaçaram esta possibilidade outras vezes e o farão novamente no caso de Carlesse.

Pergunta II

Então, se Carlesse sabe que não pode disputar um terceiro mandato, qual seria o intuito de divulgar isso?

Respostas

Não existe apenas uma, mas várias respostas: primeiro confundir os adversários, segundo evitar desgastes ao não se lançar a outro cargo como o de senador ou deputado federal e terceiro garantir força e apoio à sua gestão.

Possibilidade I

Caso Carlesse resolva disputar um cargo em 2022 terá que renunciar até o dia 1º de abril daquele ano, seis meses antes do pleito marcado para o dia 02 de outubro.

Leia Também:  Marcelo quer ser candidato ao Senado, mas Brito quer volta ao Palácio

Wanderlei

Neste caso o vice-governador Wanderlei Barbosa assume e disputa ele a reeleição para o cargo.

Possibilidade II

Porém, Carlesse pode optar por permanecer no mandato até o fim e escolher um candidato, como ele mesmo disse “técnico” para lhe suceder.

Sandro

Os nomes que estão sendo trabalhados pelo Governo do Estado para esta possibilidade são dois: Sandro Armando, secretário da Fazenda, que ajudou o Tocantins a organizar suas finanças e voltar aos trilhos do crescimento…

Adriana

… e o da secretária da Educação Adriana Aguiar, também muito bem sucedida nas políticas educacionais, mas que largaria na frente dada a natureza de sua pasta, além de ser radicada em Gurupi, base eleitoral do atual governador.

Prioridade

A prioridade de Carlesse, mais que garantir um novo mandato, seja ele qual for, é eleger o seu sucessor para dar continuidade às suas políticas públicas.

Terceiro mandato

Elegendo o sucessor, talvez, Carlesse possa voltar a governar o Tocantins em um futuro próximo, e aí sim ter um terceiro mandato, como ocorreu com os ex-governadores Siqueira Campos e Marcelo Miranda.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA