PALMAS

REALIDADE

Mais do que mandato, prioridade de Carlesse é eleger sucessor(a) em 2022

Publicado em

Blog do Márcio Rocha

Pergunta I

Alguém em sã consciência acredita que o Governador Mauro Carlesse (UB) está realmente apostando suas fichas na possibilidade de um terceiro mandato consecutivo?

Vedação

Para se ter uma noção do quanto a lei veda tal possibilidade, os vices sequer assumem o posto de titulares por um dia seis meses antes da eleição quando almejam disputar o posto.

Justiça

O Tribunal Superior Eleitoral, Superior Tribunal de Justiça e o Supremo Tribunal Federal já rechaçaram esta possibilidade outras vezes e o farão novamente no caso de Carlesse.

Pergunta II

Então, se Carlesse sabe que não pode disputar um terceiro mandato, qual seria o intuito de divulgar isso?

Respostas

Não existe apenas uma, mas várias respostas: primeiro confundir os adversários, segundo evitar desgastes ao não se lançar a outro cargo como o de senador ou deputado federal e terceiro garantir força e apoio à sua gestão.

Possibilidade I

Caso Carlesse resolva disputar um cargo em 2022 terá que renunciar até o dia 1º de abril daquele ano, seis meses antes do pleito marcado para o dia 02 de outubro.

Leia Também:  Eleições 2022 no radar e muitas indefinições sobre a mesa

Wanderlei

Neste caso o vice-governador Wanderlei Barbosa assume e disputa ele a reeleição para o cargo.

Possibilidade II

Porém, Carlesse pode optar por permanecer no mandato até o fim e escolher um candidato, como ele mesmo disse “técnico” para lhe suceder.

Sandro

Os nomes que estão sendo trabalhados pelo Governo do Estado para esta possibilidade são dois: Sandro Armando, secretário da Fazenda, que ajudou o Tocantins a organizar suas finanças e voltar aos trilhos do crescimento…

Adriana

… e o da secretária da Educação Adriana Aguiar, também muito bem sucedida nas políticas educacionais, mas que largaria na frente dada a natureza de sua pasta, além de ser radicada em Gurupi, base eleitoral do atual governador.

Prioridade

A prioridade de Carlesse, mais que garantir um novo mandato, seja ele qual for, é eleger o seu sucessor para dar continuidade às suas políticas públicas.

Terceiro mandato

Elegendo o sucessor, talvez, Carlesse possa voltar a governar o Tocantins em um futuro próximo, e aí sim ter um terceiro mandato, como ocorreu com os ex-governadores Siqueira Campos e Marcelo Miranda.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Blog do Márcio Rocha

Deputados federais tocantinenses terão dificuldades para se reeleger

Publicados

em

Carlos Gaguim tenta emplacar uma vaga na disputa pelo senado em 2022, mas tem concorrente dentro do próprio partido

Dificuldades

Os oito atuais deputados federais pelo Tocantins que abram o olho, pois terão dificuldades para se reeleger em 2022.

Concorrentes

A maior delas vai ser a entrada de concorrentes de peso pelas vagas, como o presidente da Aleto Antônio Andrade (PSL), o ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB) e a atual senadora Kátia Abreu (PP).

Tentam subir

Os deputados federais Carlos Gaguim e Professora Dorinha, ambos do Democratas, tentam emplacar uma candidatura ao senado em uma das quatro ou cinco chapas que estão se formando para a disputa da majoritária.

Falácia

Outro que tem pretensões maiores é o deputado federal Osires Damaso (PSC), que em determinado momento sinaliza candidatura ao Governo Estadual em outro ao Senado, mas terá muita sorte se conseguir um novo mandato a federal.

Reeleição

Os demais deputados federais devem tentar a reeleição. São eles: Thiago Dimas (SD), Dulce Miranda (MDB), Vicentinho Jr. (PL), Eli Borges (SD) e Célio Moura (PT).

Favoritos a perder

Esses dois últimos são favoritos a não conseguirem renovar os seus mandatos, principalmente Moura, que obteve apenas 18 mil votos e deixou na suplência três candidatos com mais votos que ele devido ao coeficiente eleitoral.

Leia Também:  Kátia vai ter que decidir: reeleição ou candidatura a federal

Botelho

Um deles foi Lázaro Botelho (PP) que obteve mais de 40 mil votos e mesmo assim ficou na suplência.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA