PALMAS

BRASIL

PF desarticula contrabando de ouro de terras indígenas venezuelanas

Publicado em

BRASIL


A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (15) a Operação La Cadena, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que seria responsável pela movimentação ilícita de ouro proveniente de terras indígenas da Venezuela.

Por determinação da 1ª Vara da Justiça Federal em Roraima, cerca de 70 policiais federais cumprem 40 mandados, dos quais quatro são de prisão preventiva, 14 de busca e apreensão, seis de condução coercitiva para monitoramento eletrônico e 16 de sequestro de bens.

Segundo a PF, as investigações tiveram início em abril de 2019, quando um veículo que apresentava registro de roubo foi abordado por policiais militares em Pacaraima (RR), na fronteira do Brasil com a Venezuela.

“O condutor estava com aproximadamente R$ 180 mil e informou que os valores seriam utilizados para aquisição de ouro de origem venezuelana e que, inclusive, realizava esse tipo de compra mensalmente há pelo menos um ano”, informa a PF.

De acordo com os investigadores, o homem foi encaminhado à Polícia Federal, “que detectou registros de relacionamento daquela situação com investigados na Operação Hespérides”, deflagrada em 2019 para investigar a existência de uma organização criminosa especializada em introduzir ouro venezuelano no Brasil.

Leia Também:  Radioagência Nacional faz 16 anos com 160 mil downloads em um ano

Os policiais constataram que os investigados contrabandeavam o ouro de forma disfarçada como “sucata de metal”. Dessa forma, dissimulavam a origem e a qualidade do material. A suspeita é de que os suspeitos movimentaram, de forma ilegal, quantias bilionárias, conforme nota divulgada pela PF.

“O inquérito policial indica que a organização também exportaria irregularmente volumosas quantidades de produtos alimentícios para o país vizinho, com suspeitas de que o pagamento seria feito em ouro, que seria internalizado clandestinamente no Brasil”, acrescenta a nota.

Empresas localizadas em Roraima teriam sido utilizadas para dar a aparência de legalidade aos lucros obtidos pelo grupo.

“Há indícios da importação proibida de mais de 100 quilos de ouro venezuelano, além da dissimulação da origem de mais de R$ 32 milhões”, completa a nota da PF, ao informar que, entre os crimes praticados pelos suspeitos de integrarem a organização criminosa, estão os de contrabando, descaminho, sonegação tributária e lavagem de dinheiro.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BRASIL

Casamento comunitário será neste domingo no Distrito Federal

Publicados

em


A terceira edição do Casamento Comunitário 2021, promovido pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) do Distrito Federal ocorre neste domingo (28) com previsão de celebração do matrimônio de 43 casais. O evento será realizado às 17h no Museu da República.

Na última quarta-feira ocorreu um ensaio geral para a cerimônia. Os noivos receberam orientações sobre horários, posicionamento, vestimentas, fotografias, convidados e dicas de segurança contra a covid-19.

Segundo a Sejus, o programa de casamento comunitário “tem como objetivo estimular o direito à convivência familiar, garantir os direitos civis da família como núcleo social básico de acolhimento, convívio, autonomia, sustentabilidade e protagonismo social”.

Para a secretária Marcela Passamani, a emoção pelas bodas ultrapassa os noivos e chega até os organizadores. “Quando a gente pensa em Casamento Comunitário, a nossa responsabilidade é servir a população do Distrito Federal. São tantos meses de preparação e agora, vendo o ensaio geral, a gente pensa ‘tá chegando o dia’ e a emoção é ainda maior. Por isso, seguimos trabalhando com compromisso e responsabilidade para proporcionar o grande dia a todos os casais”, destaca.

Leia Também:  Falta de concursos pode afetar pesquisas, diz ministro Marcos Pontes

Na segunda edição do programa 35 casais se casaram por meio do programa. Na primeira edição, realizada em abril, foram abertas 40 vagas.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA