PALMAS

BRASIL

Teresópolis recebe título de Capital Nacional do Lúpulo

Publicado em

A partir desta terça-feira (19), a cidade de Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, passou a ser conhecida como Capital Nacional do Lúpulo.

A Lei 14.414, de 18 de julho de 2022, que concede o título ao município, um dos produtores desse tipo de planta no país, está publicada no Diário Oficial da União de hoje.

Lúpulo é o nome dado a um tipo de trepadeira que cresce principalmente em regiões de clima frio. Cientificamente, é chamada de Humulus lupulus. A planta é muito usada na produção de cerveja e no setor terapêutico, especialmente no tratamento de problemas hepáticos e digestivos.

Muito usado na indústria cervejeira, o lúpulo atua para dar cheiro e sabor amargo à bebida e para formar a espuma, uma das características do produto. Além disso, o lúpulo age como um conservante natural, inibindo a proliferação de bactérias e, assim, ajudando no prolongamento do tempo de validade da cerveja para o consumo.

Em Teresópolis está localizado o primeiro viveiro autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para a produção de mudas da planta. Isso ocorreu em 2018, após o Viveiro Ninkasi cumprir processo junto ao Registro Nacional de Sementes e Mudas (Renasem).

Leia Também:  Senac oferece vagas para cursos profissionalizantes no Rio de Janeiro

*Com informações da Embrapa e do Instituto Cerveja

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

BRASIL

Quase centenária, Festa da Achiropita volta a ser realizada em SP

Published

on

Após dois anos sem poder ser realizada por causa da pandemia do novo coronavírus, a tradicional festa italiana do Bixiga, em celebração a Nossa Senhora da Achiropita, chega à sua 96ª edição e voltando ao presencial. Durante o evento, diversas barracas são dispostas pelas ruas do bairro, oferecendo ao visitante pratos típicos italianos como a fogazza, a fricazza, a polenta e o macarrão. Segundo a São Paulo Turismo (SPTuris), o evento chega a atrair cerca de 200 mil pessoas.

A festa, que faz parte do calendário oficial da cidade de São Paulo, é uma homenagem à padroeira do bairro e teve início com a chegada dos primeiros imigrantes italianos ao Bixiga, no início do século passado.

Para a edição deste ano estão previstas 35 barracas, duas delas dedicadas à maior atração da festa: a fogazza, cujas filas podem demorar até duas horas. Segundo os organizadores, mais de 200 voluntários trabalham nessa produção das fogazzas, uma massa frita e crocante, recheada com queijo, que lembra um pastel.

A festa é realizada todos os sábados e domingos do mês de agosto, até o dia 4 de setembro, e é realizada entre as ruas Treze de Maio, São Vicente e Doutor Luiz Barreto, no Bixiga, centro da capital paulista. Aos sábados, ela tem início às18h. No domingo ela começa mais cedo, as 17h30.

Leia Também:  Exposição Atrás da Grande Muralha pode ser vista até esta semana

Além da venda de doces e salgados nas barracas de rua, a festa promove também novenas a Nossa Senhora e uma procissão em louvor à padroeira do bairro, que acontece no dia 21 de agosto, a partir das 15h. A renda arrecadada é destinada aos projetos sociais da paróquia.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA