PALMAS

CIDADES

Hora do Mamaço mobiliza centenas de pessoas em Palmas

A busca pela garantia do direito da mulher amamentar seu bebê sem preconceito, em livre demanda e em qualquer local foi demonstrada mais uma vez com a Hora do Mamaço em Palmas.

Publicado em

A busca pela garantia do direito da mulher amamentar seu bebê sem preconceito, em livre demanda e em qualquer local foi demonstrada mais uma vez em Palmas, com a Hora do Mamaço, realizada pelo Banco de Leite Humano do Hospital e Maternidade Dona Regina, Núcleo Gestar Feliz e Fisiopalmas, neste sábado, 6, no Shopping Capim Dourado. Na ocasião, centenas de pessoas, entre mães, bebês, pais, familiares, profissionais da saúde  e comunidade em geral mostraram seu comprometimento com a causa e manifestaram o desejo de manter a amamentação exclusiva até os seis meses e complementar até os dois anos, conforme preconiza o Ministério da Saúde.

 

A administradora Nayara Costa sabe muito bem o desafio de manter a amamentação exclusiva de seu bebê de dois meses. “No início foi difícil, com peito fissurado e tive bastante crítica de pessoas que diziam que meu leite era fraco e que não ia sustentar o bebê, mas ele está ganhando peso e crescendo normalmente. Meu leite é tão suficiente para ele que ele dorme a noite inteira. Para as mães que estão nesta luta inicial, o conselho é não desistir, busquem ajuda no banco de leite, pois com o passar do tempo amamentar é prazeroso e vale muito à pena”, disse.

 

Para a maioria das mães presentes no evento, o Banco de Leite é apontado como um grande parceiro principalmente nos primeiros dias de vida do bebê. “Fiz amamentação exclusiva até os seis meses, tive muitas dificuldades e fui ao banco de leite, onde fui muito bem recebida e me ajudaram bastante. O trabalho deles é muito interessante é deve ser o caminho de todas as mães que precisam”, conta a funcionária pública Juliana Pinheiro.

 

Leia Também:  Dia D da Saúde oferece palestras e serviços à população do Setor Novo Planalto

Outra mãe ajudada pelo Banco de Leite foi a psicóloga Poliana Mota que tem um bebê de quatro meses e pretende amamentar até os dois anos. “Graças a Deus para mim sempre foi tranquilo, só tive problemas na minha primeira gestação, quando tive ajuda do bando de leite do hospital Dona Regina, mas dessa vez foi super tranquilo. É uma experiência saudável para o bebê e para a mãe, que perde rápido os quilos ganhados durante a gravidez”, explicou.

 

O diretor executivo do Hospital Dona Regina, Eduardo Carneiro, falou sobre o trabalho da maternidade e da importância do evento para a qualidade de vida da população. “Somos um hospital com título de Amigo da Criança e dentre os requisitos necessários para ter o título é preciso promover políticas que incentivem e garantam o aleitamento materno. Neste sentido, o Agosto Dourado e a Semana Mundial de Amamentação chamam atenção para o valor que tem amamentação, pois é através dela que a criança se desenvolve, cria um sistema imunológico forte e isso é fundamental para que sja um adulto saudável também”, destacou.]

 

A Hora do Mamaço chamou a atenção de quem passeava pelo shopping. “Achei muito interessante este movimento e quando soube a causa, fiquei muito feliz, pois a saúde de nossas crianças representa uma população mais saudável no futuro e sem dúvida é o que todos nós queremos”, afirmou o empresário Carlos Nogueira.

 

Dificuldades

Para algumas mães, o retorno ao trabalho acaba por atrapalhar a exclusividade da amamentação até o sexto mês, como foi o caso da nutricionista e advogada Emilene Pacheco. “Como voltei a trabalhar com quatro meses e tenho que me dividir entre duas profissões, ficou complicado manter a amamentação exclusiva, então meu bebê está tomando complemento, mas as mães que tem disponibilidade de tempo devem manter a amamentação em livre demanda até os dois anos, como é preconizado pelo Ministério da Saúde. Assim eu fiz na primeira gestação, há 15 anos, quando eu era só estudante”, relatou.

Leia Também:  Corpo de servidor da Adapec é encontrado em decomposição na 1005 sul

 

Kits

Durante o evento também foram distribuídos kits para as mães que pretendem ser doadoras do banco de leite, que está com o estoque baixo. Toda mulher com boas condições de saúde, não fumante, que não ingere bebida alcoólica, não toma medicamento controlado, que está amamentando e percebe que depois que o bebê mama ainda tem leite no peito, pode ajudar.

 

Para doar basta procurar o Dona Regina pessoalmente ou ligar no 0800 64 68283, para fazer um cadastro e receber um kit de doação que contêm touca, máscara descartável, gazes e frasco. O leite da doadora é coletado pelos Bombeiros Amigos do Peito.

 

Hora do Mamaço

Deflagrado por mulheres em 2012, a partir de uma situação em que uma mulher foi abordada sob a alegação de que ela não poderia amamentar o filho em local público, o mamaço busca reunir o maior número possível de mulheres para que em um local público amamente seus bebês ao mesmo tempo e assim chamem atenção da população para a necessidade do apoio à amamentação.

 

O evento faz parte da Semana Mundial do Aleitamento Materno 2016 que traz um tema amplo e que vem de encontro a atual situação do mundo: a necessidade do desenvolvimento sustentável. A abordagem leva em consideração o fato da amamentação reduzir as morbidades, mortalidade, desigualdades, violência, danos ambientais, ao mesmo tempo em que promove a vida e a saúde.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

CIDADES

Fanta Maracujá volta ao mercado brasileiro e lança plataforma “Mais Mix, Mais Diversão”

Published

on

Com o lançamento de Fanta Maracujá, a marca está expandindo seu portfólio e convidando os consumidores a combinarem Fanta com seu lanche favorito 

Desde 2021, Fanta vem se posicionando como um antídoto contra o ´cinza´ do mundo com a campanha “Colorful People”, que celebra os jovens de espírito que querem evocar o lado colorido da vida. Fanta convida as pessoas a se divertirem e apreciarem um momento de indulgência em suas rotinas, criando experiências mais coloridas e cheias de sabor. No Brasil, a marca acaba de lançar o sabor regular Maracujá, inovando e aumentando o portfólio de sabores existentes: Laranja, Uva e Guaraná.

O sabor Maracujá já foi testado no mercado brasileiro em 2012 na edição limitada e, agora, volta como opção regular de Fanta para os consumidores da marca inquietos por novidades. Uma pesquisa realizada pela marca no Brasil, mostrou que o maracujá era o próximo sabor mais desejado do refrigerante no país. Fanta Maracujá já está disponível nos mercados de todo o Brasil em embalagens mini (200ml/220ml ou 250ml), lata 310ml ou 350ml e PET de 2L.

Além disso, para reforçar esse compromisso com o novo e com os anseios dos consumidores, a marca também lançou a plataforma “Mais mix, mais diversão”, que estimula o consumidor a combinar seu sabor da Fanta favorito com lanches, momentos e paixões.

O conceito da nova plataforma “Mais mix, mais diversão” integra consumidores e criadores com o novo mundo indulgente da marca, com bom humor, que quebra a seriedade do dia a dia e oferece momentos leves e coloridos através de lanches deliciosos – pequenos momentos de pausa para se recompensar. A ideia é inspirar a descoberta de novas combinações. Os seus lanches favoritos e seu sabor de Fanta favorito, podem oferecer uma combinação especial, tornando tudo mais divertido, e é claro, saboroso. E pode ser combinado até com uma enorme paixão e suas rotinas ou um grande momento especial. O convite é para criar sabores com seus lanches favoritos, então desta forma, eles podem experimentar criar seus próprios sabores de Fanta combinados. Para essa divulgação, a marca contou com Nosferotika e Ary Fontoura falando um pouco dos snacks preferidos com Fanta.

Leia Também:  Corpo de servidor da Adapec é encontrado em decomposição na 1005 sul

“Identificamos que os consumidores querem trazer mais cor, diversidade e diversão para seus dias. Por isso, quisemos fazer da Fanta a parceira perfeita para suas necessidades e tornar-se uma alternativa divertida para misturar e trazer cor aos seus lanches diários. Estamos lançando novos sabores em toda a América Latina, como o Maracujá no Brasil, com base nas preferências dos consumidores de cada mercado. Esta novidade pretende motivar as pessoas a despertarem seu “espírito jovem” para lutar contra o tédio no mundo, para trazer humor e tornar a vida mais divertida e colorida, como nossa campanha “Mais mix, mais diversão” diz Javier Meza, VP de Marketing da Coca-Cola América Latina.  

Todas estas ativações e lançamentos de novos sabores fazem parte da expansão estratégica da marca pela América Latina, convidando o público a fazer parte do processo de criação e diversão, fazendo combinações e encontrando seu jeito favorito próprio de consumir Fanta.

Sobre a Coca-Cola Bandeirantes

A Coca-Cola Bandeirantes é uma empresa do segmento de bebidas do Grupo José Alves que atua nos estados de Goiás e Tocantins há mais de 35 anos. Fundada em 1987, emprega mais de 2.700 colaboradores diretos e 5.000 indiretos. A empresa possui um centro produtor situado no município de Trindade, em Goiás, com nove centros de distribuição nas cidades de Palmas, Gurupi, Itumbiara, Uruaçu, Anápolis, Dianópolis, Rialma, Porangatu, Morrinhos e três Crossdocking nas cidades de São Luís de Montes Belos, Rio Verde e Aparecida de Goiânia. Atende diretamente 228 cidades e mais de 33.400 pontos de vendas.

Leia Também:  Justiça mantém Resolução do TCE que suspende decreto municipal que reajusta IPTU de Palmas

Produz, distribui e vende de forma exclusiva em sua área de atendimento, os refrigerantes da Coca-Cola Brasil, além do suco Del Valle Frut. Distribui e vende de forma exclusiva para sua área de atendimento, as cervejas da Heineken Brasil, as Cervejas do Grupo Cervejeiro Hijos de Rivera com a marca Estrella Galícia, os sucos, chás, energéticos, isotônicos, hidrotônicos e Bebidas a base de Soja (Ades) da Coca-Cola Brasil e as águas minerais da Crystal Acqua Lia. Realiza também a distribuição das marcas Monster Company, com o energético Monster e a bebida de alta performance Reign.

Como a sustentabilidade é um compromisso da empresa, ela investe fortemente em projetos socioambientais, como o Projeto Coletivo Online, capacitação de jovens das classes C, D e E para o mercado de trabalho, Programa Reciclar pelo Brasil/Logística Reversa, no apoio às cooperativas de reciclagem com o incentivo a reciclagem de embalagens PET. A previsão para 2030 é que 100% das embalagens colocadas no mercado sejam recolhidas (logística reversa), além de aumentar a eficiência do consumo de recursos naturais: água e energia, reduzir a emissão de carbono, promover o desenvolvimento de embalagens sustentáveis e suportar a expansão e continuidade do negócio.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA