PALMAS

SUSTENTABILIDADE

FIETO realiza coletiva de imprensa para apresentar Instituto Amazônia + 21

Publicado em

ECONOMIA

Um movimento de empresários na promoção de negócios sustentáveis na Amazônia Legal. Foi assim que o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia, Marcelo Thomé, definiu a Instituto Amazônia + 21. Entidade criada para atrair empresas e investimentos para a região, da qual faz parte o Tocantins. “ O mundo só colocará dinheiro em empreendimentos sustentáveis”, disse ele, acrescentando que por isso é necessário criar regras apropriadas para a região amazônica que dialogue com o bioma.

Thomé destacou que o objetivo do Instituto Amazônia + 21 é construir estratégias financeiras para fomentar projetos, e que a ideia e atuar nas duas pontas: demandas e investimentos, “Existe um estoque de terras degradáveis ou subutilizadas na região amazônica que deve receber investimentos, só que desta vez observando as regras de sustentabilidade, pois para que seja considerado negócio sustentável tem que seguir as regras”, frisou.

“Esse Instituto veio para capacitar as empresas para que realizem negócios sustentáveis na Amazônia aproveitando a nossa rede de instituições (SENAI, SESI e IEL) na capacitação das pessoas, aproximando-as dos fundos de investimentos. Por isso, estamos muito animados com a iniciativa pois acreditamos que ela fará a diferença para os nossos empresários, não somente da indústria, mas também de outros segmentos.

Leia Também:  FIETO e Sudam debatem estratégias de desenvolvimento regional

Negócios

O mapeamento de soluções, oportunidades e perspectivas relacionadas ao desenvolvimento sustentável da Amazônia foi uma das principais pautas do Fórum Mundial Amazônia+21, realizado em novembro de 2020, e que reuniu especialistas, cientistas, empresas e representantes de vários governos em debates e estudos que apontaram, entre outras oportunidades, tecnologia e inovação, bioeconomia, indústria verde e mercado de carbono como possibilidades estratégicas para o desenvolvimento socioeconômico de toda a Amazônia.

Serviço: Assessoria de Imprensa FIETO (63) 3229-5775

Por Júnior Veras

Foto Adilvan Nogueira

Serviço: Assessoria de Imprensa FIETO (63) 3229-5775

Fonte: FIETO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Moradores do Lago Sul em Palmas recebem certificado em barbearia e panificação

Publicados

em


Por Wédila Jácome – Ascom Prefeitura de Palmas

Cursos profissionalizantes oferecidos aos contemplados por habitação popular são oportunidades para mudar de vida.

O trabalho técnico social é uma das ações da Prefeitura de Palmas realizadas após a entrega dos empreendimentos habitacionais, visando garantir aos moradores meios de se adaptarem à nova moradia. Nesse sentido, os moradores do residencial Lago Sul II receberam certificação nos cursos profissionalizantes em barbearia e panificação, com duração de 160 horas e encerrado na tarde desta segunda-feira, 18.

Na oportunidade, 13 moradores receberam kits básicos de barbeiro para dar o pontapé inicial na nova profissão. O kit conta com secador, máquina para corte de cabelo, tesoura, pentes, escova, tesoura para corte a laser, navalha, cartela de lâminas, loção pós-barba, toalha de rosto, espuma para barbear, luvas, touca para luzes, gel, avental, entre outros produtos.

Para o professor que ministrou a capacitação, Valterli Salazar, o curso e o kit recebido são suficientes para o aluno já sair do curso e começar seu pequeno negócio. “Hoje vocês dão o pontapé inicial para esse ramo da beleza. Meu pai e eu construímos nossas famílias cortando cabelo. Então, digo: é possível”.

Leia Também:  Conta de energia elétrica deve aumentar mais 17% em 2022

Nesse mesmo sonho, Édipo de Menezes Macedo, de 31 anos, morador do Lago Sul II, precisou trocar de horário no serviço para poder participar do curso. “Eu trabalhava a noite e conversei com meu patrão para poder trocar de turno . Vou começar cortando cabelo em casa mesmo e aumentar a renda na minha casa”.

Para Gabriel Campos de Jesus, 18 anos, há três meses já trabalha como aprendiz no salão de um amigo, e o certificado chegou para abrir novas oportunidades. “Vou procurar trabalho em um salão maior, até conseguir dinheiro para montar meu próprio negócio”. Na casa de Campos moram cinco pessoas, e atualmente a mãe e o padrasto estão empregados.

Oportunidade também para Mariely Lourenço Santos, 36 anos, que já corta cabelo das amigas, e que pretende montar algo para ela em sua casa. “Foi um desafio cortar cabelo de homem, eu tremi na base, mas agora estou preparada. Com o kit vou poder ajudar meu marido no orçamento de casa”.

Quinze moradoras concluíram o curso de panificação e estão certificadas para empreender. Para Maria Raimunda, de 40 anos, o curso é um divisor de águas pra quem deseja ingressar no mercado de trabalho. “Assim como as outras, sou donas de casa, e aprendi muito com fazer a higiene correta e o preparo. A nossa apostila é maravilhosa.”

Leia Também:  Otimismo dos empresários sobre a economia atual cresce 19,6%

Ação pós-ocupação

O projeto de trabalho técnico social está desenvolvendo 180 ações em 17 empreendimentos entregues pela Prefeitura de Palmas e que atenderá 21.709 pessoas. Antes da escolha dos cursos para cada empreendimento, foi feito um diagnóstico social que apontou as principais demandas profissionalizantes, tendo como foco também a demanda de profissionais do mercado de trabalho em Palmas.

Os moradores fizeram a inscrição durante o plantão social, realizado no próprio empreendimento. Os cursos são gratuitos, incluindo material didático, lanche e transporte, no caso de curso longe do empreendimento. A diretora de projetos sociais, Helena Barbosa dos Santos, explica que após o curso há um planejamento por parte do município para inserção dessas pessoas no mercado de trabalho. “Aqueles que mais se destacarem, o Senai tem um banco de dados para inserir essas pessoas.”

Fonte: FIETO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA