PALMAS

ECONOMIA

Julho traz leve aumento no número de endividados em Palmas

Neste mês de julho o índice geral da pesquisa que mede o endividamento e a inadimplência dos consumidores da capital subiu 2,1%.

Publicado em

Os moradores de Palmas têm sido cautelosos quando o assunto é dívidas, porém neste mês de julho o índice geral da pesquisa que mede o endividamento e a inadimplência dos consumidores da capital (PEIC) subiu 2,1%, já que 68,6% dos entrevistados disseram ter dívidas. Em junho, o índice havia registrado 66,5%. Do total dos consumidores endividados, 13,4% tem contas em atraso e 0,2% afirmaram não ter condições de quitar as suas dívidas. A pesquisa é realizada mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em parceria com a Fecomércio Tocantins.

 

A pesquisa mostrou ainda que o tipo de dívida mais comum é o cartão de crédito, com 71,2%, seguidos dos carnês (27,2%) e do financiamento de carro (22,8%). Mas 59,6% consideram-se pouco endividados e isso vem de encontro com a média do comprometimento da renda familiar com dívidas que ficou em 32,9%. Segundo a assessora econômica da Fecomércio, Fabiane Cappellesso, essas dívidas não devem ultrapassar este patamar. “O aconselhável é que as pessoas usem somente até 30% de suas finanças com dívidas a médio e longo prazo, para que o restante seja utilizado no custeio de moradia, transporte, alimentação, lazer, e investimentos”, explicou.

Leia Também:  Cheques de qualquer valor serão compensados em até um dia útil

 

Já a média do tempo de comprometimento com dívidas ficou em 8,3 meses, sendo que a maioria (48,6%) disse ter compromisso com contas por mais de um ano. O presidente da Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, aponta sobre os riscos de dívidas a longo prazo. “A economia hoje está muito instável, e com isso, mesmo com um planejamento sólido as famílias devem ter cautela ao aderir uma dívida a longo prazo, tendo em vista que os juros acompanham alguns índices monetários e a taxa de desemprego está cada dia maior. Portanto, quem puder comprar à vista ou com parcelamentos menores, com certeza, é a melhor opção”, disse.

 

Dentre os que estão com contas atrasadas, 42,9% disseram que o atraso no pagamento é entre 30 e 90 dias, chegando a uma média geral de 54,2 dias.

 

Para recolher esses dados, a pesquisa ouviu cerca de 500 consumidores da cidade de Palmas, nos últimos dez dias do mês de junho.

 

(Ascom Fecomércio)

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

ECONOMIA

​Câmara de Mulheres Empreendedoras da Fecomércio reuniu empresárias em Happy Hour

Published

on

Com o objetivo de apresentar a nova diretoria e ações propostas para 2022, ocorreu ontem na sede da Fecomércio em Palmas, um Happy Hour promovido pela Câmara de Mulheres Empreendedoras e Gestoras de Negócios (CMEG) que reuniu as integrantes que compõem a entidade. Na oportunidade, a empresária Maria Fátima de Jesus, presidente da CMEG, representou também a vice-presidente, Letícia Coelho.

Durante o seu pronunciamento, o presidente do Sistema Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, ressaltou a importância da Câmara e do empreendedorismo feminino. “Nós criamos esta iniciativa visando justamente dar espaço as empresárias, que hoje representam uma grande parcela das gestoras de empresas no estado. Nós resolvemos este ano estender e buscar novos setores para dar maior representatividade, e pelo que estou vendo, estamos com um time de peso”.

Ele ainda falou da satisfação de ter representantes tocantinenses na Câmara Brasileira das Mulheres Empreendedoras do Comércio. “A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) criou uma câmara a nível nacional e é uma honra ter a representação da Fátima e da Letícia. Elas participarão de discussões que trarão benefícios não só para mulheres do Tocantins, mas de todo o país”, disse.

Leia Também:  Cinthia anuncia que Prefeitura premiará contribuinte que pedir nota fiscal de serviços em Palmas

Durante o evento, Maria de Fátima apresentou as diretrizes e o planejamento proposto para 2022 às membras que já faziam parte, assim como, para as novas empresárias que aceitaram o convite para integrar a câmara. “Tenho certeza que a participação de todas fará a diferença e juntas traçaremos boas propostas ao fomento do empreendedorismo feminino no Tocantins. Cada uma com seu conhecimento agregará ainda mais em pontos que são importantes para nós, como gestão, educação profissional, políticas públicas e outros”.

CMEG

A Câmara de Mulheres Empreendedoras e Gestora de Negócios (CMEG) é uma entidade diretamente vinculada ao Sistema Fecomércio Tocantins, sem fins lucrativos e de natureza privada. Tem como diretriz estruturar e apresentar propostas que promovam o desenvolvimento da mulher no âmbito empresarial, visando a promoção do empreendedorismo feminino e o estabelecimento de políticas voltadas aos interesses das mulheres do Tocantins.

Fonte: Fecomércio TO

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA