PALMAS

ECONOMIA

Mulheres de Araguaína iniciam cursos em que predominam profissionais masculinos

Publicado em

ECONOMIA


As 40 mulheres inscritas no Projeto Força Mulher iniciaram as aulas de quatro cursos nesta semana em Araguaína. Entre as qualificações, que contam com unhas em gel e cabelos, estão instalação elétrica e de ar-condicionado, em que predominam profissionais masculinos. O projeto, realizado por meio do Programa Cidade Empreendedora, foi lançado no último dia 1º pela Prefeitura e Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), tendo ainda como parceiros o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e o Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial).

Para a moradora do Setor Lago Azul 4 Gláucia Ribeiro, que já atua no ramo da construção civil, o curso de instalação de ar-condicionado foi uma oportunidade única de crescimento para ela. “É uma chance valiosa para eu ter acesso ao mercado de trabalho com mais qualificação”.

O projeto promove a inclusão produtiva preferencialmente de mulheres do cadastro do Bolsa Família atendidas nos CRAS (Centros de Referência da Assistência Social) que estejam em estado de vulnerabilidade, contribuindo para a conquista do trabalho como oportunidade de resgate da dignidade e geração de emprego e renda, fortalecendo o desenvolvimento local.

Cada curso terá 60 horas de aulas e serão realizados nas sedes dos CRAS e SCFV (Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos). “No final do curso, o nome Força Mulher será apenas a história de superação, vitória e conquistas, testemunho vivo da coragem de vocês”, afirmou a superintendente da Assistência Social, Suzana Salazar.

Leia Também:  Lançamentos e vendas de imóveis residenciais devem crescer cerca de 10% em 2018

Empreendedorismo

O Programa Cidade Empreendedora é uma iniciativa nacional do Sistema Sebrae e tem por objetivo fomentar o empreendedorismo. De acordo com o Gerente do Sebrae, Joaquim Quinta Neto, o Força Mulher veio para mudar a realidade das mulheres para que possam ser empreendedoras através da iniciativa pessoal garantida pela qualificação.

Cursos
A qualificação em instalação elétrica já está tendo aulas no CRAS 3, no Setor Parque do Lago, desde o dia 1º, de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 17h30. A capacitação vai até dia 25 de outubro.

O curso de instalação de ar-condicionado será ministrado de 27 de outubro a 18 de novembro, também no CRAS 3, das 13h30 às 17h30.

As mulheres que farão o curso de cabelos iniciaram as aulas no último dia 6 e vai até dia 25, no CRAS 1, no Setor Céu Azul, das 13 às 17 horas.

Unhas em gel iniciará as aulas no dia 16 de novembro e durará até dia 25 do mesmo mês, no SCFV, no Setor Costa Esmeralda, das 13 às 18 horas.

Leia Também:  Famílias palmenses elevam intenção de consumo em fevereiro

Créditos da imagem: Charles Michael/Ascom

Fonte: FIETO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Moradores do Lago Sul em Palmas recebem certificado em barbearia e panificação

Publicados

em


Por Wédila Jácome – Ascom Prefeitura de Palmas

Cursos profissionalizantes oferecidos aos contemplados por habitação popular são oportunidades para mudar de vida.

O trabalho técnico social é uma das ações da Prefeitura de Palmas realizadas após a entrega dos empreendimentos habitacionais, visando garantir aos moradores meios de se adaptarem à nova moradia. Nesse sentido, os moradores do residencial Lago Sul II receberam certificação nos cursos profissionalizantes em barbearia e panificação, com duração de 160 horas e encerrado na tarde desta segunda-feira, 18.

Na oportunidade, 13 moradores receberam kits básicos de barbeiro para dar o pontapé inicial na nova profissão. O kit conta com secador, máquina para corte de cabelo, tesoura, pentes, escova, tesoura para corte a laser, navalha, cartela de lâminas, loção pós-barba, toalha de rosto, espuma para barbear, luvas, touca para luzes, gel, avental, entre outros produtos.

Para o professor que ministrou a capacitação, Valterli Salazar, o curso e o kit recebido são suficientes para o aluno já sair do curso e começar seu pequeno negócio. “Hoje vocês dão o pontapé inicial para esse ramo da beleza. Meu pai e eu construímos nossas famílias cortando cabelo. Então, digo: é possível”.

Leia Também:  Prefeitura reajusta IPTU por decreto em 25%

Nesse mesmo sonho, Édipo de Menezes Macedo, de 31 anos, morador do Lago Sul II, precisou trocar de horário no serviço para poder participar do curso. “Eu trabalhava a noite e conversei com meu patrão para poder trocar de turno . Vou começar cortando cabelo em casa mesmo e aumentar a renda na minha casa”.

Para Gabriel Campos de Jesus, 18 anos, há três meses já trabalha como aprendiz no salão de um amigo, e o certificado chegou para abrir novas oportunidades. “Vou procurar trabalho em um salão maior, até conseguir dinheiro para montar meu próprio negócio”. Na casa de Campos moram cinco pessoas, e atualmente a mãe e o padrasto estão empregados.

Oportunidade também para Mariely Lourenço Santos, 36 anos, que já corta cabelo das amigas, e que pretende montar algo para ela em sua casa. “Foi um desafio cortar cabelo de homem, eu tremi na base, mas agora estou preparada. Com o kit vou poder ajudar meu marido no orçamento de casa”.

Quinze moradoras concluíram o curso de panificação e estão certificadas para empreender. Para Maria Raimunda, de 40 anos, o curso é um divisor de águas pra quem deseja ingressar no mercado de trabalho. “Assim como as outras, sou donas de casa, e aprendi muito com fazer a higiene correta e o preparo. A nossa apostila é maravilhosa.”

Leia Também:  Unitins divulga lista de aprovados do Vestibular 2020/2 via SISU e são on-line

Ação pós-ocupação

O projeto de trabalho técnico social está desenvolvendo 180 ações em 17 empreendimentos entregues pela Prefeitura de Palmas e que atenderá 21.709 pessoas. Antes da escolha dos cursos para cada empreendimento, foi feito um diagnóstico social que apontou as principais demandas profissionalizantes, tendo como foco também a demanda de profissionais do mercado de trabalho em Palmas.

Os moradores fizeram a inscrição durante o plantão social, realizado no próprio empreendimento. Os cursos são gratuitos, incluindo material didático, lanche e transporte, no caso de curso longe do empreendimento. A diretora de projetos sociais, Helena Barbosa dos Santos, explica que após o curso há um planejamento por parte do município para inserção dessas pessoas no mercado de trabalho. “Aqueles que mais se destacarem, o Senai tem um banco de dados para inserir essas pessoas.”

Fonte: FIETO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA