PALMAS

ECONOMIA

Taxas do FNO do Banco da Amazônia seguem inalteradas e fomentam crédito rural

Quem pretende fazer operações no crédito rural tem uma boa notícia, não houve mudanças na taxa de juros anual do Fundo e seguem inalteradas.

Publicado em

ECONOMIA

O Banco da Amazônia tem uma boa notícia para quem pretende utilizar os recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) para operações de crédito rural. Os encargos financeiros do FNO seguem inalterados para o período de 1º de julho de 2016 a 30 de junho de 2017, ou seja, não houve mudanças na taxa de juros anual do Fundo, o que possibilitará aos empreendedores usufruírem das mesmas condições com que operaram no período de julho de 2015 a junho deste ano. A decisão foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em reunião ordinária realizada no último dia 30 de junho.

 

“Para quem quer investir ou dinamizar seu negócio, os recursos do FNO continuam altamente competitivos. Nossas taxas são diferenciadas porque o crédito é para fomentar o desenvolvimento da Amazônia, uma região que precisa de um tratamento distinto, devido as suas peculiaridades”, diz Marivaldo Melo, presidente do Banco da Amazônia.

 

Para as operações de investimento com ou sem custeio associado, para receita bruta de até R$ 16 milhões, a taxa de juros ao ano do FNO continua em 7,65% e, para quem pagar em dia, há bônus de adimplência de 15%, passando a taxa anual para 6,50%. Para receita bruta de R$ 16 milhões a R$ 90 milhões, os encargos são de 8,53% ao ano e, com o bônus de adimplência, esses diminuem para 7,25% ao ano. Já para receita bruta acima de R$ 90 milhões, a taxa, sem o bônus, é de 10%, e com o bônus cai para 8,50% ao ano.

Leia Também:  Prazo para converter créditos para o 'Programa Nota Quente' de março encerra neste sábado, 29

 

Quanto às operações de custeio, capital de giro isolado e comercialização, as taxas do FNO são as seguintes: 8,82% para receita bruta de até R$ 16 milhões e, com bônus, reduz para 7,50%; 10,29% para receita bruta de R$ 16 milhões a R$ 90 milhões e de 7,25% como bônus de adimplência; e de 12,35% para receita bruta acima de R$ 90 milhões, sendo que reduz para 10,50% com o bônus de adimplência.

 

Os encargos financeiros se mantiveram, ainda, para as operações florestais que utilizarem os financiamentos do FNO Biodiversidade e ABC, para projetos de conservação e proteção do meio ambiente, recuperação de áreas degradadas e desenvolvimento de atividades sustentáveis. Nesses casos, independente do porte, a taxa de juros do FNO segue em 8,53%, reduzindo para 7,25% como bônus de adimplência.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Pisoni participa de lançamento de programa voltado ao setor empresarial

Publicados

em

O presidente do Sistema Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, participou ontem pela manhã, 18 de janeiro, do lançamento do Programa de Impulsionamento da Indústria, Comércio e Serviços (PICS). O evento aconteceu em Porto Nacional e contou com a presença de diversas autoridades, dentre elas o Governador em exercício, Wanderlei Barbosa. O Programa visa melhorar o ambiente empresarial do estado e a infraestrutura dos parques e distritos industriais do Estado. A estimativa de investimentos é de R$ 110 milhões.

O governador Wanderlei Barbosa salientou que a sua proposta de desenvolvimento do Estado passa necessariamente pela infraestrutura dos parques industriais. “Não temos como atrair investidores se não tivermos um ambiente propício para as empresas. Daí a importância desse programa que estamos lançando hoje. É um projeto de longo prazo, que vai permitir estruturar, ampliar e implantar os parques industriais para atrair novos investimentos para o Tocantins, gerar empregos, renda para o povo e divisas para o Estado”, ressaltou.

O secretário de Estado da Infraestrutura, Jairo Mariano, explicou que o programa constitui uma parceria entre as pastas da Infraestrutura e da Indústria, Comércio e Serviços (Sics) que vai permitir acelerar o processo de desenvolvimento econômico com a instalação e a ampliação dos parques industriais. “Isso certamente vai promover uma nova dinâmica na economia do Estado”, frisou, ressaltando que os projetos para lançamento do edital de licitação de contratação para os serviços de engenharia e construção de infraestrutura do parque de Porto Nacional já estão sendo finalizados.

Leia Também:  Procon notifica Atacadão, Makro e Assaí por constrangimento contra os consumidores

“Temos que criar condições de atração de novos investimentos, sem esquecer daqueles que já estão implantados no Estado”, afirmou o titular da Indústria Comércio, Carlos Humberto Lima.

(colaboração da Secom/TO)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA