PALMAS

MUNDO

Ex-presidente das Filipinas morre aos 94 anos

Publicado em

O ex-presidente filipino Fidel Ramos morreu aos 94 anos de idade, no domingo (31). Ele foi uma figura importante nos protestos pró-democracia de 1986, que derrubaram a ditadura no país. O escritório presidencial das Filipinas anunciou a morte, mas as causas não foram reveladas.

Ramos era um militar de alto escalão durante a ditadura do ex-presidente Ferdinand Marcos, pai do atual líder do país, Ferdinand Marcos Junior. No entanto, Ramos apoiava Corazon Aquino, figura central no movimento Poder Popular de 1986. Sua mudança de posicionamento provocou a queda do governo de Marcos.

Depois de Aquino se tornar presidente, Ramos passou a ocupar cargos importantes no governo, inclusive, o de ministro da Defesa. Ele frustrou tentativas de golpes por parte de oficiais do Exército, o que contribuiu para a estabilidade do governo de Aquino.

Ramos assumiu a presidência em 1992 e se comprometeu a reconstruir a economia das Filipinas. Ele é reconhecido por ter colocado o país de volta nos trilhos do crescimento econômico.

Ramos deixou o cargo em 1998, mas manteve sua influência política, apoiado também pela opinião pública. Assim, foi capaz de fazer várias exigências a governos subsequentes.

Leia Também:  Preso na Hungria um dos maiores traficantes internacionais do mundo

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

MUNDO

Cerimônia no Japão marca 77 anos do fim da Segunda Guerra Mundial

Published

on

Cidadãos no Japão celebram hoje 77 anos desde o fim da Segunda Guerra Mundial. No dia 15 de agosto de 1945, foi transmitido pelo rádio um pronunciamento do imperador Showa anunciando que o Japão havia se rendido. Nesta segunda-feira (15), o governo realizou uma cerimônia para homenagear aqueles que morreram na guerra.

Cerca de mil pessoas compareceram ao evento em Tóquio, onde é realizado anualmente. Os participantes observaram um minuto de silêncio quando os relógios marcaram o meio-dia para homenagear as pessoas que foram mortas em decorrência da guerra.

Dos mortos, mais de 2 milhões faziam parte do então Exército Imperial do Japão, enquanto cerca de outros 800 mil eram civis.

O imperador Naruhito e a imperatriz Masako participaram do evento. O imperador disse que “olhando para o longo período de paz que se sucedeu à guerra, refletindo sobre o nosso passado e mantendo vivo o sentimento de profundo remorso, eu espero honestamente que os horrores da guerra nunca mais se repitam. Junto com todo nosso povo, eu agora presto minha sincera homenagem a todos que perderam suas vidas na guerra, tanto dentro como fora dos campos de batalha, e rezo pela paz mundial e pelo contínuo desenvolvimento do nosso país”.

Leia Também:  Coreia do Norte dispara mais 2 mísseis e EUA condenam série de testes

O premiê Kishida Fumio também fez um discurso durante o evento. Ele disse que “conflitos continuam sendo uma constante neste mundo, mas a nossa nação irá, sob a bandeira da contribuição proativa para a paz, trabalhar com comprometimento junto da comunidade internacional para resolver os múltiplos desafios que o mundo enfrenta”.

Um dos parentes das vítimas da guerra que compareceu à cerimônia foi Otsuki Kenichi, de 83 anos de idade. Seu pai deixou o Japão para lutar na China enquanto sua mãe ainda estava grávida dele. Seu pai morreu sem saber que ele havia nascido. Otsuki disse que “o mundo continua atormentado por conflitos, como a invasão russa à Ucrânia. Eles fazem com que famílias percam seus entes queridos todos os dias, como nós também perdemos. É a nossa sincera esperança que a paz prevaleça no mundo o mais cedo possível.”

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA