PALMAS

PALMAS

Campanha de vacinação contra o sarampo e a gripe termina na sexta-feira, 24

Publicado em

PALMAS

Conforme já anunciado pelo Ministério da Saúde, termina na sexta-feira, 24, as campanhas de vacinação contra o sarampo (tríplice viral) e a influenza (gripe). Dessa forma, a Secretaria Municipal da Saúde (Semus) reforça ao público prioritário dessas campanhas que compareça às salas de vacina das Unidades de Saúde da Família (USFs) ou nas ações do Busão do Mais Saúde e garanta a proteção contra essas enfermidades.

Para se vacinar, basta comparecer aos locais de imunização com documentos pessoais, cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e cartão de vacina. O Ministério da Saúde, até o momento, disponibiliza a vacina da tríplice viral (que imuniza contra o sarampo, caxumba e rubéola) para trabalhadores da saúde e crianças de seis meses a quatro anos de idade.

Já a vacina da gripe está disponível para a população acima de 60 anos, crianças de seis meses a quatro anos, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas até 45 dias pós-parto, indígenas, professores, portadores de doenças crônicas, pessoas com deficiência permanente, trabalhadores do transporte coletivo, caminhoneiros, trabalhadores portuários, forças de segurança, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Leia Também:  Guardas Metropolitanos passam por qualificação profissional

Proteção

Sobre a importância das campanhas, o gerente da Central Municipal da Rede de Frio (Cemurf), Hugo Botelho, reforça que a proteção da vacina Tríplice Viral contra o sarampo é essencial para manter afastada essa doença que já foi erradicada, mas que volta a assombrar o país. O mesmo se dá com a vacina influenza, diz o gerente ao recordar que, no início do ano, Palmas teve um surto de gripe. “Logo, tomar a vacina da influenza é uma proteção para evitar as síndromes gripais e as internações decorrentes delas”, destaca.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

PALMAS

Prevenção de queimadas em Palmas já cumpre decreto do Governo Federal

Publicados

em

Palmas deve intensificar suas ações de combate às queimadas e seguir o Decreto 11.100/2022 (https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2022/decreto/d11100.htm), do Governo Federal, publicado nesta quarta-feira, 22, no Diário Oficial da União. Conforme previsto na legislação, ficam suspensas as permissões para uso do fogo em todo o território nacional, pelo prazo de 120 dias, contados a partir da publicação da lei, prática que já vem sendo adotada por Palmas, que tem a ambição de minimizar os efeitos do fogoi no meio ambiente local.

Vale destacar, que o período mais crítico para queimadas, em Palmas, se dá entre os meses de julho a outubro, que também é o mais seco do ano. A medida normalmente é adotada todo ano quando tem início o período de seca, de forma a prevenir os incêndios. Este trabalho é coordenador pelo Comitê Municipal de Prevenção e Combate às Queimadas (PrevIncêndio), órgão executivo vinculado à Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) e Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), por meio da Defesa Civil, que juntas têm a tarefa de prevenir a ocorrência de incêndios florestais e urbanos na Capital.

Leia Também:  Guardas Metropolitanos passam por qualificação profissional

Mesmo suspendendo as permissões para uso do fogo, o decreto presidencial prevê algumas exceções, a exemplo das práticas de prevenção e combate a incêndios realizados ou supervisionados por instituições públicas responsáveis pela prevenção e pelo combate aos incêndios florestais; práticas de agricultura de subsistência executadas pelas populações tradicionais e indígenas; atividades de pesquisa científica realizadas por Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação; controle fitossanitário por uso do fogo, desde que autorizado pelo órgão ambiental competente, dentre outros.

Em Palmas
Além do trabalho de prevenção, controle e combate a queimadas, desde 2021 o Município vem adotando a recuperação das áreas degradadas pelo fogo, logo após o período seco, com o plantio de árvores de espécies nativas, para recomposição da fauna original.

Os trabalhos de conscientização e sensibilização da população também são iniciados bem no início do período seco, especialmente com palestras em escolas, comunidades rurais e outros setores ligados às atividades agropastoris.

Palmas também conta com uma brigada de combate e controle de incêndios rurais e urbanos, ligada à Superintendência de Defesa Civil e que trabalha em parceria com os órgãos ambientais, do Município, Estado e Federal, Guarda Metropolitana Ambiental, Corpo de Bombeiros, dentre outros.

Leia Também:  Nota de Pesar - Osmar de Sousa Castro

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA