PALMAS

PALMAS

Palestra sobre uso indevido de drogas atrai dezenas de jovens ao Cras Morada do Sol II

Publicado em

PALMAS

Jovens e adolescentes da região sul de Palmas participaram da palestra ‘Políticas Antidrogas: origem e efeitos’, nesta terça-feira, 21, no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Morada do Sol II. O evento fez parte da programação da Semana Municipal de Conscientização e Prevenção ao Uso de Drogas, que segue até domingo, 26.

A palestra contou com a participação do presidente da Fundação da Juventude de Palmas (FJP), Nélio Lopes; do técnico do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Daniel Barbosa; e do psicólogo do Cras Morada do Sol II, Fabiano Carvalho.

Lopes iniciou os trabalhos testemunhando sobre os diversos caminhos que poderiam tê-lo transformado num jovem com problemas com drogas, mas destacou o quanto os estudos foram decisivos para que tomasse o caminho contrário. “Vale a pena enfrentar seus monstros e continuarem sóbrios. Amanhã ou depois, vocês sentirão orgulho do que se tornaram”, disse.

Barbosa elencou sobre os conceitos e definições das drogas, e como elas atuam no cérebro. Deu exemplos das naturais, sintéticas e semissintéticas, bem como sua origem e seus efeitos. “Todos esses elementos químicos vão trazer algo fora do normal para nossa vida, e as consequências podem ser definitivas na vida de cada usuário e das pessoas em sua volta”, pontuou.

Leia Também:  GMP orienta a população como proceder ao encontrar um animal silvestre fora do seu habitat

Carvalho fechou a palestra ressaltando que é possível encontrar vários espaços de cuidados e de fortalecimento para superarem esses momentos que são muito desafiadores na vida de todas as pessoas, citando o Centro de Valorização da Vida (CVV), que oferece apoio emocional e prevenção do suicídio.

A estudante Bruna Lima, 17 anos, destacou a importância da palestra e do modo como foi conduzida. “Hoje, além da orientação sobre os tipos e efeitos das drogas, podemos ouvir a história de vida de pessoas que souberam passar por momentos difíceis, sem se renderem ao uso das drogas, isso chamou muito minha atenção”, disse.

Blitz
Pela manhã, uma blitz educativa foi realizada na Avenida JK, abrindo oficialmente a ‘Semana Municipal de Conscientização e Prevenção ao Uso de Drogas’ e levando informação a quem passava pela via. A semana é promovida pela Fundação da Juventude de Palmas  e foi escolhida por fazer alusão ao Dia Internacional de Combate às Drogas e Entorpecentes, celebrado em 26 de junho. 

Programação
Dia 23 – Palestra em Buritirana, às 8 horas, na Escola Municipal de Tempo Integral Luiz Nunes de Oliveira;
Dia 24 – Roda de conversa na Central de Execuções de Penas e Medidas Alternativas (Cepema), às 8 horas;
Dia 26- Roda de conversa em Taquaruçu, às 17 horas, na Praça Vereador Joaquim Maracaípe.

Leia Também:  Saúde de Palmas terá pontos de vacinação contra a Covid-19 e Influenza

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

PALMAS

Prevenção de queimadas em Palmas já cumpre decreto do Governo Federal

Publicados

em

Palmas deve intensificar suas ações de combate às queimadas e seguir o Decreto 11.100/2022 (https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2022/decreto/d11100.htm), do Governo Federal, publicado nesta quarta-feira, 22, no Diário Oficial da União. Conforme previsto na legislação, ficam suspensas as permissões para uso do fogo em todo o território nacional, pelo prazo de 120 dias, contados a partir da publicação da lei, prática que já vem sendo adotada por Palmas, que tem a ambição de minimizar os efeitos do fogoi no meio ambiente local.

Vale destacar, que o período mais crítico para queimadas, em Palmas, se dá entre os meses de julho a outubro, que também é o mais seco do ano. A medida normalmente é adotada todo ano quando tem início o período de seca, de forma a prevenir os incêndios. Este trabalho é coordenador pelo Comitê Municipal de Prevenção e Combate às Queimadas (PrevIncêndio), órgão executivo vinculado à Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) e Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), por meio da Defesa Civil, que juntas têm a tarefa de prevenir a ocorrência de incêndios florestais e urbanos na Capital.

Leia Também:  Centro de Logística Reversa deve fomentar economia circular em Palmas

Mesmo suspendendo as permissões para uso do fogo, o decreto presidencial prevê algumas exceções, a exemplo das práticas de prevenção e combate a incêndios realizados ou supervisionados por instituições públicas responsáveis pela prevenção e pelo combate aos incêndios florestais; práticas de agricultura de subsistência executadas pelas populações tradicionais e indígenas; atividades de pesquisa científica realizadas por Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação; controle fitossanitário por uso do fogo, desde que autorizado pelo órgão ambiental competente, dentre outros.

Em Palmas
Além do trabalho de prevenção, controle e combate a queimadas, desde 2021 o Município vem adotando a recuperação das áreas degradadas pelo fogo, logo após o período seco, com o plantio de árvores de espécies nativas, para recomposição da fauna original.

Os trabalhos de conscientização e sensibilização da população também são iniciados bem no início do período seco, especialmente com palestras em escolas, comunidades rurais e outros setores ligados às atividades agropastoris.

Palmas também conta com uma brigada de combate e controle de incêndios rurais e urbanos, ligada à Superintendência de Defesa Civil e que trabalha em parceria com os órgãos ambientais, do Município, Estado e Federal, Guarda Metropolitana Ambiental, Corpo de Bombeiros, dentre outros.

Leia Também:  Governador recepciona mais de 200 novos policiais penais e agentes

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA