PALMAS

POLÍCIA

Ação do DENARC apreende 15 quilos de entorpecentes em Paraíso

Ao ser ouvida pela autoridade policial, a mulher afirmou que tinha recebido instruções de seu marido.

Publicado em

Uma ação de combate ao tráfico de drogas, deflagrada por policiais civis da Delegacia Especializada na Repressão a Narcóticos (DENARC), na madrugada desta quinta-feira, 16, em Paraíso do Tocantins, resultou na apreensão de 15 kg de maconha e na prisão, em flagrante por tráfico de drogas, de Cristina Vieira Sales, de 21 anos de idade.

 

De acordo com o Delegado Guilherme Rocha Martins, responsável pela operação, os policiais civis da Delegacia Especializada receberam uma denúncia anônima, informando que uma mulher, a qual seria esposa de um preso conhecido como “Zezão”, estaria transportando um carregamento de drogas de Goiânia com a finalidade de abastecer “bocas de fumo”, em Miranorte, Miracema e Pedro Afonso.

 

Após os levantamentos necessários, os agentes da Denarc deslocaram-se até as imediações do Posto da Polícia Rodoviária Federal, (PRF), às margens da BR 153, em Paraíso do Tocantins, onde montaram campana e, depois de algum tempo, realizaram a abordagem de um ônibus, o qual se encaixava na descrição do veículo, onde a suspeita poderia estar.

Leia Também:  Dois jovens são executados com tiros na cabeça na região sul de Palmas

 

Ao entrar no coletivo, os agentes encontraram Cristina, que é esposa de Gilberto Pereira Bonfim (vulgo Zezão), trazendo consigo duas bolsas contendo 15kg de maconha,  vulgarmente chamada de “2/1”, devido ao seu alto coeficiente de pureza e qualidade.

Ao ser ouvida pela autoridade policial, a mulher afirmou que tinha recebido instruções de seu marido para buscar a droga em Goiânia e trazer até Miranorte, onde alguém, contratado por Gilberto Bonfim, receberia a droga e a levaria para Miracema.

 

Após os procedimentos cabíveis, Cristina Vieira Sales, que se encontra grávida de quatro meses, foi encaminhada à Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins, a fim de receber os cuidados médicos necessários e, em seguida, foi colocada à disposição do Poder Judiciário. Cristina e Gilberto já foram alvos da operação “Renascimento II”, deflagrada pela Polícia Civil de Pedro Afonso, a qual indiciou 18 pessoas por tráfico de drogas, em julho de 2015.

 

Segundo o delegado Guilherme Rocha, a ação que resultou na apreensão de 15 kg de entorpecentes, representa mais um duro golpe contra o narcotráfico, “A Denarc está seguindo o planejamento estratégico estabelecido pelo Delegado Geral e pelo Secretário de Segurança Publica, no sentido de intensificar o combate ao tráfico de drogas em todo o Estado, desarticulando as organizações criminosas e retirando da sociedade, esse mal que tanto assola a família Tocantinense”.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍCIA

Polícia Civil deflagra operação Absterge e desarticula organização criminosa que atuava no Tocantins e no Maranhão

Published

on

A Operação Absterge, que faz menção a limpeza ou purificação

Na manhã desta segunda-feira, 15, a Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), com apoio da Polícia Militar, Polícia Penal, Ministério Público Estadual do Tocantins e o Centro Tático Aéreo do Maranhão, deflagrou a Operação Absterge com o objetivo de desarticular uma facção criminosa do Maranhão que tentava se instalar em Augustinópolis e vinha cometendo crimes, entre eles, quatro homicídios, tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Aproximadamente 100 policiais participaram da ação que visou cumprir um total de 43 mandados de prisão preventiva, prisão temporária e busca e apreensão nas cidades de Augustinópolis (TO), João Lisboa e São Luís, ambas no Maranhão. Os alvos já vinham sendo monitorados pela Polícia Civil há cerca de dois meses.

O delegado titular da 12ª Delegacia de Polícia Civil em Augustinópolis e coordenador da operação, Jacson Wutke, explicou que além do cumprimento de mandados, a Operação teve o objetivo de impedir que a facção criminosa do Maranhão se instalasse no município tocantinense.

Leia Também:  7 integrantes de uma organização criminosa são presos por "facilitar negociações" dentro do Detran

“Hoje nosso principal objetivo é desarticular uma organização criminosa que buscava se enraizar aqui no município de Augustinópolis. Basicamente uma atuação voltada para o tráfico de drogas e homicídios. Até o momento 21 pessoas foram presas, eram 23 mandados de prisão, tivemos dois evadidos e um que acabou indo a óbito em razão de confronto com a polícia. Mas de um modo geral foi uma operação exitosa, tivemos grande apreensão de drogas e armas de fogo e outros objetos que vão ajudar a elucidar os crimes investigados pela Polícia Civil”, destacou o delegado.

Prisões

Do total de mandados, 23 eram de prisões, dos quais 21 foram cumpridos já que dois dos alvos conseguiram fugir antes da chegada da polícia.

Do total de presos, sete eram mulheres que estavam sendo investigadas por associação criminosa e tráfico de drogas.

Um menor de 16 anos também foi apreendido, apontado como integrante de facção criminosa. O adolescente tem longa ficha criminal envolvendo crimes como homicídio e ocultação de cadáver.

Leia Também:  Corpo de adolescente morta a facadas é encontrado às margens de rodovia

Tanto as mulheres como o adolescente foram encaminhados para a Central de Flagrantes em Araguatins para depois serem reconduzidos para as Unidades Prisionais.

Já os homens presos nesta operação foram conduzidos diretamente para o presídio de Augustinópolis.

A Operação Absterge, que faz menção a limpeza ou purificação, também acontece dentro do Presídio de Augustinópolis, no qual será realizada uma revista nas celas.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA