PALMAS

POLÍCIA

Polícia Civil apreende 4kg de maconha em Gurupi

Após revistar bagagem, os policiais civis localizaram e apreenderam 5 tabletes de maconha depois de receberem uma denúncia anônima.

Publicado em

No início da manhã desta quinta-feira, 2, a Polícia Civil, por intermédio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) Núcleo Sul, de Gurupi, efetuou a apreensão de 4kg de maconha, droga que estava em poder de Lorena Barbosa de Souza, de 20 anos de idade, a qual foi presa em flagrante pela prática do crime de tráfico de drogas.

 

A operação, deflagrada pela Deic foi comandada pelo Delegado Rafael Fortes Falcão e teve início na noite da última quarta-feira, 1, quando os policiais civis daquela delegacia especializada receberam uma denúncia anônima informando que uma mulher identificada como Lorena estava em Goiânia-GO e embarcaria para Gurupi, durante à noite, transportando drogas.

 

Com base nessas informações, os policiais civis da DEIC e da Central de Flagrantes empreenderam diligências no sentido de localizar a suspeita e confirmar a veracidade da informação. Desta maneira, os agentes montaram uma campana nas imediações do Terminal Rodoviário de Gurupi e, por volta das 6h45min, abordaram Lorena, quando a mesma desembarcava de um ônibus, procedente da Capital de Goiás.  

Leia Também:  PM apreende material explosivo de quadrilha que planejava atacar Pequizeiro

 

Após revistar a bagagem da mulher, os policiais civis localizaram e apreenderam 5 tabletes de maconha, os quais totalizaram 4kg da droga. Lorena foi então levada para a sede da Deic, onde foi autuada em flagrante por tráfico de drogas. Por meio de levantamentos posteriores, os agentes descobriram que a jovem é reincidente na prática do crime de tráfico de drogas e, desta maneira, Lorena será encaminhada a uma Unidade Prisional Feminina do Estado, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário. 

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍCIA

Polícia Civil deflagra operação Absterge e desarticula organização criminosa que atuava no Tocantins e no Maranhão

Published

on

A Operação Absterge, que faz menção a limpeza ou purificação

Na manhã desta segunda-feira, 15, a Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), com apoio da Polícia Militar, Polícia Penal, Ministério Público Estadual do Tocantins e o Centro Tático Aéreo do Maranhão, deflagrou a Operação Absterge com o objetivo de desarticular uma facção criminosa do Maranhão que tentava se instalar em Augustinópolis e vinha cometendo crimes, entre eles, quatro homicídios, tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Aproximadamente 100 policiais participaram da ação que visou cumprir um total de 43 mandados de prisão preventiva, prisão temporária e busca e apreensão nas cidades de Augustinópolis (TO), João Lisboa e São Luís, ambas no Maranhão. Os alvos já vinham sendo monitorados pela Polícia Civil há cerca de dois meses.

O delegado titular da 12ª Delegacia de Polícia Civil em Augustinópolis e coordenador da operação, Jacson Wutke, explicou que além do cumprimento de mandados, a Operação teve o objetivo de impedir que a facção criminosa do Maranhão se instalasse no município tocantinense.

Leia Também:  PM apreende menor suspeito pelo assassinato de gerente em Araguaína

“Hoje nosso principal objetivo é desarticular uma organização criminosa que buscava se enraizar aqui no município de Augustinópolis. Basicamente uma atuação voltada para o tráfico de drogas e homicídios. Até o momento 21 pessoas foram presas, eram 23 mandados de prisão, tivemos dois evadidos e um que acabou indo a óbito em razão de confronto com a polícia. Mas de um modo geral foi uma operação exitosa, tivemos grande apreensão de drogas e armas de fogo e outros objetos que vão ajudar a elucidar os crimes investigados pela Polícia Civil”, destacou o delegado.

Prisões

Do total de mandados, 23 eram de prisões, dos quais 21 foram cumpridos já que dois dos alvos conseguiram fugir antes da chegada da polícia.

Do total de presos, sete eram mulheres que estavam sendo investigadas por associação criminosa e tráfico de drogas.

Um menor de 16 anos também foi apreendido, apontado como integrante de facção criminosa. O adolescente tem longa ficha criminal envolvendo crimes como homicídio e ocultação de cadáver.

Leia Também:  Corpo de homem desaparecido é encontrado em cisterna com 12 metros de profundidade

Tanto as mulheres como o adolescente foram encaminhados para a Central de Flagrantes em Araguatins para depois serem reconduzidos para as Unidades Prisionais.

Já os homens presos nesta operação foram conduzidos diretamente para o presídio de Augustinópolis.

A Operação Absterge, que faz menção a limpeza ou purificação, também acontece dentro do Presídio de Augustinópolis, no qual será realizada uma revista nas celas.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA