PALMAS

POLÍCIA

Policia civil e militar realizam operação de combate a criminalidade

Durante toda manhã foram cumpridos 17 mandados de prisão, 78 mandados de busca e apreensão, 13 autos de prisão em flagrante. Drogas e objetos frutos de roubos e receptação foram apreendidos pela Polícia Civil.

Publicado em

Policiais Civis e Militares do Tocantins iniciaram, na manhã desta quinta-feira, 07, uma grande operação de combate a criminalidade no Estado. Durante toda manhã foram cumpridos 17 mandados de prisão, 78 mandados de busca e apreensão, 13 Autos de Prisão em Flagrante (APF) e oito Termos Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

 

As ações foram coordenadas pelo Delegado-Geral em exercício da Polícia Civil, Roger Knevitz e o coronel Edvan de Jesus Silva, da Polícia Militar. Segundo o delegado, esta operação faz parte do primeiro eixo de ações do planejamento estratégico Brasil Central Seguro. “Este primeiro eixo está focado na repreensão do tráfico de drogas. Mobilizamos toda equipe da polícia civil e militar, realizando ações simultâneas no Tocantins e regiões da Capital”, afirma Roger Knevitz.

 

A operação Brasil Central Seguro é resultado do planejamento estratégico das policiais do Tocantins e outros cinco estados da Federação. Ao todo, foram mobilizados 321 polícias civis e 200 policiais militares do Estado.

 

Em Palmas

Na capital, as ações foram coordenadas pelos delegados Raimundo Claudio, diretor de Polícia da Capital, e Guilherme Rocha, titular da Delegacia Especializada de Repressão a Narcóticos (Denarc).

Leia Também:  Assaltante é morto e menor apreendido após ação criminosa em Araguaína

 

Os principais cumprimentos de mandados de prisão e de busca e apreensão da Capital aconteceram em complexos habitacionais, principalmente da região sul. “A incidência de tráfico de drogas nessas localidades era muito grande. Traficantes estavam dominando o crime nesta região”, comenta o delegado Guilherme Rocha.

 

Ao todo, 70 policiais civis e 130 policiais militares participaram da operação em Palmas, que, até o final desta manhã, cumpriram 50 mandados de busca e apreensão, duas prisões em flagrante e cinco termos circunstanciado de ocorrência.

 

No Interior

Já no interior do Tocantins, a operação foi coordenada pelo diretor de Polícia do Interior, Marcio Girotto, que acompanhou o andamento das ações. Ao todo, 251 policiais civis e 70 policiais militares se mobilizaram na operação do interior, que cumpriu, até o momento, 17 mandados de prisão, 28 mandados de busca e apreensão, 11 prisões em flagrante e três termos circunstanciado de ocorrência.

 

Segundo o delegado Marcio Girotto, o volume de mandados de prisão cumpridos até agora tem um impacto positivo pra sociedade. “Com esta operação, o Estado está dando respaldo à população, cumprindo as denúncias e as investigações já iniciadas, além de passar a sensação de mais segurança”, afirma.  

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍCIA

Polícia Civil deflagra operação Absterge e desarticula organização criminosa que atuava no Tocantins e no Maranhão

Published

on

A Operação Absterge, que faz menção a limpeza ou purificação

Na manhã desta segunda-feira, 15, a Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), com apoio da Polícia Militar, Polícia Penal, Ministério Público Estadual do Tocantins e o Centro Tático Aéreo do Maranhão, deflagrou a Operação Absterge com o objetivo de desarticular uma facção criminosa do Maranhão que tentava se instalar em Augustinópolis e vinha cometendo crimes, entre eles, quatro homicídios, tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Aproximadamente 100 policiais participaram da ação que visou cumprir um total de 43 mandados de prisão preventiva, prisão temporária e busca e apreensão nas cidades de Augustinópolis (TO), João Lisboa e São Luís, ambas no Maranhão. Os alvos já vinham sendo monitorados pela Polícia Civil há cerca de dois meses.

O delegado titular da 12ª Delegacia de Polícia Civil em Augustinópolis e coordenador da operação, Jacson Wutke, explicou que além do cumprimento de mandados, a Operação teve o objetivo de impedir que a facção criminosa do Maranhão se instalasse no município tocantinense.

Leia Também:  PM testa aplicativo que dá acesso imediato a dados de veículos roubados e mandados de prisão

“Hoje nosso principal objetivo é desarticular uma organização criminosa que buscava se enraizar aqui no município de Augustinópolis. Basicamente uma atuação voltada para o tráfico de drogas e homicídios. Até o momento 21 pessoas foram presas, eram 23 mandados de prisão, tivemos dois evadidos e um que acabou indo a óbito em razão de confronto com a polícia. Mas de um modo geral foi uma operação exitosa, tivemos grande apreensão de drogas e armas de fogo e outros objetos que vão ajudar a elucidar os crimes investigados pela Polícia Civil”, destacou o delegado.

Prisões

Do total de mandados, 23 eram de prisões, dos quais 21 foram cumpridos já que dois dos alvos conseguiram fugir antes da chegada da polícia.

Do total de presos, sete eram mulheres que estavam sendo investigadas por associação criminosa e tráfico de drogas.

Um menor de 16 anos também foi apreendido, apontado como integrante de facção criminosa. O adolescente tem longa ficha criminal envolvendo crimes como homicídio e ocultação de cadáver.

Leia Também:  Assaltante é morto e menor apreendido após ação criminosa em Araguaína

Tanto as mulheres como o adolescente foram encaminhados para a Central de Flagrantes em Araguatins para depois serem reconduzidos para as Unidades Prisionais.

Já os homens presos nesta operação foram conduzidos diretamente para o presídio de Augustinópolis.

A Operação Absterge, que faz menção a limpeza ou purificação, também acontece dentro do Presídio de Augustinópolis, no qual será realizada uma revista nas celas.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA