PALMAS

POLÍCIA

Polícia Militar realiza policiamento durante temporada de praias

Estão sendo desenvolvidas atividades de policiamento de caráter preventivo, ostensivo, educativo e repressivo com vistas a inibir e coibir práticas de crimes comuns e ambientais.

Publicado em

O mês de julho no Tocantins é tradicionalmente conhecido como o período de temporada de praias. Época em que ocorrem diversas programações nas margens dos rios Araguaia, Tocantins e seus afluentes. Com objetivo de garantir a segurança, o bem-estar e a tranquilidade social dos banhistas e frequentadores de um modo geral das praias tocantinenses, a Polícia Militar preparou um esquema especial de policiamento e realiza desde o último dia 1º de julho a “Operação Temporada de Praia 2016”, que se estenderá até o dia 08 de agosto.

 

Estão sendo desenvolvidas atividades de policiamento de caráter preventivo, ostensivo, educativo e repressivo com vistas a inibir e coibir práticas de crimes comuns e ambientais. A ação conta ainda com o apoio de policiais militares do serviço administrativo de todas as unidades, que reforçam o contingente de policiais durante a operação. Militares do Quartel do Comando Geral da PM (QCG), em Palmas, estão sendo enviados às cidades do interior com a maior concentração de público durante a temporada.

 

A “Operação Temporada de Praia 2016” acontece de forma tranquila em todas as praias do Tocantins com programação oficial. Até o momento, não foram registradas ocorrências de grande vulto.

Leia Também:  Adolescente é baleado no dia em que completou 17 anos e acaba morrendo

 

Veículos recuperados

 

No último domingo, 17, na Praia do Croá, município de Aliança do Tocantins, policiais militares apreenderam um veículo VW Gol, de cor prata, com placa de Goiânia-GO, adulterado.

 

Durante o patrulhamento na praia os militares identificaram o veículo suspeito e perceberam que ele apresentava sinais de adulteração. Após os procedimentos de identificação veicular e através dos dados do automóvel os militares constataram que se tratava de um veículo clonado, com registro de furto/roubo ocorrido na cidade de Luziânia-GO.

 

O veículo e o condutor foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil da cidade de Gurupi para os procedimentos cabíveis. Na delegacia o suposto proprietário do carro apresentou a documentação do veículo e os policiais verificaram que era falsa.

 

Na mesma praia, no final de semana anterior, 10/07, os policiais também apreenderam um veículo clonado. Durante policiamento os militares identificaram o veículo GM Meriva, ano 2009/2010, estacionado. O proprietário apresentou os documentos do carro, e os militares constataram que a documentação era falsa.

Leia Também:  Polícia Federal deflagra Operação Madset para combater venda de decisões judiciais no Tocantins

 

Depois de realizada a verificação veicular foi constatado que se tratava de um veículo clonado, idêntico a um automóvel roubado em Curitiba-PR em julho de 2013. O condutor e o veículo foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil em Gurupi para os encaminhamentos legais.

 

Arma de fogo apreendida

 

Já na noite de domingo, 17, na Praia do Luzimangues, nas proximidades do Distrito de Luzimangues, pertencente ao município de Porto Nacional, os policiais militares prenderam um indivíduo de 36 anos, acusado de porte ilegal de arma de fogo. Em poder do suspeito os policiais apreenderam uma pistola calibre 7.65, e um carregador de pistola com 12 munições intactas. O homem e o material apreendido foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil em Palmas, para os procedimentos que o caso requer.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍCIA

Polícia Civil deflagra operação Absterge e desarticula organização criminosa que atuava no Tocantins e no Maranhão

Published

on

A Operação Absterge, que faz menção a limpeza ou purificação

Na manhã desta segunda-feira, 15, a Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), com apoio da Polícia Militar, Polícia Penal, Ministério Público Estadual do Tocantins e o Centro Tático Aéreo do Maranhão, deflagrou a Operação Absterge com o objetivo de desarticular uma facção criminosa do Maranhão que tentava se instalar em Augustinópolis e vinha cometendo crimes, entre eles, quatro homicídios, tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Aproximadamente 100 policiais participaram da ação que visou cumprir um total de 43 mandados de prisão preventiva, prisão temporária e busca e apreensão nas cidades de Augustinópolis (TO), João Lisboa e São Luís, ambas no Maranhão. Os alvos já vinham sendo monitorados pela Polícia Civil há cerca de dois meses.

O delegado titular da 12ª Delegacia de Polícia Civil em Augustinópolis e coordenador da operação, Jacson Wutke, explicou que além do cumprimento de mandados, a Operação teve o objetivo de impedir que a facção criminosa do Maranhão se instalasse no município tocantinense.

Leia Também:  Polícia Federal realiza operação contra empresários acusados de fraudes bancárias

“Hoje nosso principal objetivo é desarticular uma organização criminosa que buscava se enraizar aqui no município de Augustinópolis. Basicamente uma atuação voltada para o tráfico de drogas e homicídios. Até o momento 21 pessoas foram presas, eram 23 mandados de prisão, tivemos dois evadidos e um que acabou indo a óbito em razão de confronto com a polícia. Mas de um modo geral foi uma operação exitosa, tivemos grande apreensão de drogas e armas de fogo e outros objetos que vão ajudar a elucidar os crimes investigados pela Polícia Civil”, destacou o delegado.

Prisões

Do total de mandados, 23 eram de prisões, dos quais 21 foram cumpridos já que dois dos alvos conseguiram fugir antes da chegada da polícia.

Do total de presos, sete eram mulheres que estavam sendo investigadas por associação criminosa e tráfico de drogas.

Um menor de 16 anos também foi apreendido, apontado como integrante de facção criminosa. O adolescente tem longa ficha criminal envolvendo crimes como homicídio e ocultação de cadáver.

Leia Também:  Adolescente é baleado no dia em que completou 17 anos e acaba morrendo

Tanto as mulheres como o adolescente foram encaminhados para a Central de Flagrantes em Araguatins para depois serem reconduzidos para as Unidades Prisionais.

Já os homens presos nesta operação foram conduzidos diretamente para o presídio de Augustinópolis.

A Operação Absterge, que faz menção a limpeza ou purificação, também acontece dentro do Presídio de Augustinópolis, no qual será realizada uma revista nas celas.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA