PALMAS

POLÍTICA

Deputados cobram posição do governo e dizem que falta de diálogo acirra greve

Os deputados voltaram a cobrar uma posição do governo, e defendem uma negociação com os manifestantes e a necessidade de transparência nas financeiras públicas.

Publicado em

Iniciada há duas semanas, a greve dos servidores do Estado continua sendo um dos assuntos mais debatidos no plenário da Assembleia Legislativa. Na sessão vespertina desta quarta-feira, 24, o deputado Eduardo Siqueira Campos (DEM) voltou a cobrar uma posição do Governo. Ele defendeu a abertura imediata das negociações entre o Executivo e os manifestantes.

Para Eduardo, os números demonstram que há orçamento para pagar a data-base. “O movimento está embasado na lei e, por isso, o Governo não pode dizer simplesmente que não vai atender às reivindicações. Não se trata de questão partidária, uma vez que nenhum deputado vai ser contra o pagamento”, argumentou.

O deputado Wanderlei Barbosa (SD) disse que a Casa de Leis não pode se calar diante do quadro. “Falta humildade ao Governo, que não abre as negociações e nega o cumprimento da lei”, acrescentou.

Ainda na sessão, o deputado Paulo Mourão (PT) obteve a aprovação, em regime de urgência, de requerimento que convoca os secretários da Fazenda, do Planejamento e da Administração para prestar esclarecimentos ao Legislativo sobre a real situação financeira do Tocantins. “Os gestores precisam equilibrar as contas públicas, pois a crise financeira contamina o Estado”, alertou.

Leia Também:  MPTO alerta que é crime descumprir as determinações do poder público para contenção do coronavírus

Por sua vez, o deputado Ricardo Ayres (PSB) ponderou sobre a necessidade de transparência nas financeiras públicas. “Existem disparidades entre a remuneração dos servidores. Os funcionários não podem pagar o preço pela falta de planejamento de gestões anteriores. Precisamos ver o Estado de maneira unitária se quisermos restabelecer o bom andamento da máquina pública”, concluiu.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍTICA

Inscrições para cursos preparatórios se encerram nesta sexta-feira

Published

on

A Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Tocantins (Aleto) segue até sexta-feira, 19, com inscrições abertas para os cursos preparatórios ao Enem (presencial) e concursos públicos e pré-vestibular (online). As aulas começam na próxima segunda-feira, dia 22.

Para inscrever-se no cursinho ao Enem, o interessado precisa procurar a Escola do Legislativo, no prédio da Assembleia, no período matutino. Já na modalidade EaD (Ensino à Distância), as inscrições poderão ser feitas até o próximo dia 19, pela plataforma www.escolalegto.com.br.

Na plataforma digital de ensino à distância, a Escola do Legislativo está disponibilizando vagas para 11 (onze) cursos totalmente gratuitos, com destaque aos cursos preparatórios para pré-vestibular, 130 vagas, e 80 vagas para concurso público.

Já para o curso presencial preparatório ao Enem em Palmas, são 180 vagas. Neste ano, a Escola do Legislativo vai ofertar também vagas para o curso presencial na cidade de Gurupi. As inscrições se encerram nesta sexta-feira, 19.

Atualmente, estão matriculados 1.100 alunos de 60 municípios do Tocantins. A iniciativa conta com a parceria das câmaras municipais, que são multiplicadoras nas comunidades e sempre buscaram apoio do Parlamento para capacitações e cursos de aperfeiçoamento.

Leia Também:  Pesquisa Ibope/TV Anhanguera traz números similares aos da Folha Capital

Egressos

O estudante de Jornalismo da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Yuri Lipi, foi um dos alunos que fizeram o cursinho, e fez questão de motivar outros jovens em suas redes sociais. “Façam este curso, que é sucesso; passei para Jornalismo através dele, sem contar que os professores são os mesmos dos cursinhos particulares. Tudo grátis!”.

Ex-aluno do curso preparatório da Escola, Junio Souza também aprovou os resultados. “Eu indico: os melhores professores da capital estão dando aula lá. E outra coisa: é aberto ao público, então não perca essa oportunidade!”.

Geovanna também compartilhou em suas redes sociais as vantagens de fazer o curso. “Foi o cursinho gratuito que fiz durante uns meses antes da pandemia; grandes professores da rede particular deram aula lá. Portanto, indico a quem não tem condições de custear um privado”.

Fonte: Assembleia Legislativa do TO

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA