PALMAS

POLÍTICA

Pré-candidatos a vereador falam sobre as suas propostas eleitorais

A Folha Capital disponibiliza esse espaço para os pré-candidatos propor suas ideias, no sentido de ajudar a população a escolher os vereadores que representarão Palmas.

Publicado em

PROCURADO POR DIVERSOS PRÉ-CANDIDATOS QUE BUSCAM UM ESPAÇO PARA PROPOR AS SUAS IDEIAS, A FOLHA CAPITAL DISPONIBILIZARÁ EVENTUALMENTE ESSE ESPAÇO, NO SENTIDO DE AJUDAR A POPULAÇÃO A ESCOLHER OS 19 VEREADORES QUE VÃO REPRESENTAR PALMAS.

 

PEDRO IMÓVEIS (PSL)

 

Donizete Aparecido Pedro da Silva, ou apenas Pedro Imóveis, como é mais conhecido, nasceu em Pereira Barreto, no interior de São Paulo, tem 55 anos e mora em Palmas desde 1991.

Sempre trabalhando no setor imobiliário, Pedro Imóveis construiu uma carreira empresarial de sucesso, tornando-se um dos nomes mais conhecidos do setor na capital.

Vindo de uma família humilde de 14 irmãos, Pedro é Casado com Josefa Dias desde 1983, ele é pai de três filhos, Thais Pedro, Luan Pedro, e Sabrina Pedro. Desde os seis anos de idade Pedro já trabalhava na roça, catando algodão, colhendo arroz, café e outros grãos.

 

FOLHA CAPITAL – Por que resolveu ser candidato?

Pedro Imóveis – Após solidificar a empresa e entregar nas mãos dos meus filhos e da minha esposa tornou-se viável ajudar a administrar a cidade que tanto amo.

 

Qual é o seu diferencial em relação aos outros candidatos.

Trabalho. Muito trabalho e compromisso.

 

Como o senhor vê o atual momento de Palmas?

O trabalho vem sendo afetado no ramo imobiliário e o comércio. É causado pela má administração de Brasília. Por isso o Governo do município teve que aumentar os impostos. Poucos rebateram e não tivemos como fazer nada.

 

O que o senhor pretende fazer para ajudar o setor imobiliário a se recuperar?

Trabalhar junto e em prol da sociedade e do empresariado para viabilizar uma revisão da planta de valores e do ISSQN para os corretores para tentar reaquecer o setor.

 

Como fazer com que Palmas dependa menos dos servidores públicos e do setor de serviços?

Precisamos incentivar a industrialização e a agricultura familiar. Para trazer a industrialização precisamos de incentivos, como doação de lotes, planejamento da construção, terraplanagem, visando gerar emprego e renda.

 

O senhor acredita que a sua candidatura é viável?

A candidatura é viável porque pode ser dada atenção ao povo, principalmente os mais necessitados. Vamos criar mecanismos de assistência social, cooperativas, agricultura familiar e fazendo com que a prefeitura compre os produtos provenientes das cooperativas. Precisamos incentivar também outros setores como a piscicultura.

 

O que fazer para tirar as nossas crianças do mundo das drogas?

Precisamos criar centros esportivos e campos de futebol, escolinhas. Futebol tanto para o masculino para o feminino. Atletismo, natação, viável para qualquer um. Não só para tirar os nossos jovens do álcool e das drogas como melhorar o seu desempenho escolar. Pois o esporte ensina disciplina e respeito aos colegas e professores.

 

Qual vai ser sua primeira medida caso seja eleito vereador?

Meu primeiro projeto será montar um escritório para atender o povo, aonde as pessoas serão atendidas o dia todo, pois a câmara não é o lugar ideal para isso.

 

Qual a sua esperança no futuro de Palmas?

Tenho muita esperança, pois Palmas tem terra boa e água abundante. Aqui só passa fome quem não tiver coragem de trabalhar.

 

Quais são os seus projetos voltados para os corretores?

Para os corretores de imóveis temos vários projetos para que os profissionais façam uma integração comercial, entre os quais a redução de até 20% na compra de veículos novos, como já existe em outras cidades do país e para outras categorias como os taxistas. Afinal, para o corretor, o veículo também é um instrumento de trabalho. Também queremos a obrigatoriedade da presença de um corretor de imóveis toda e qualquer transferência de imóveis, visando garantir a lisura e legalidade do negócio, evitando fraudes e golpes, principalmente contra os compradores, entre outros.

 

 

ARLINDO ALMEIDA (PT)

 

Arlindo Almeida é pioneiro em Palmas e ex-deputado constituente que fez parte da comissãodos 8 deputados que escolheram o local que hoje é a Capital. Em 2003, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT), e hoje, disputa o cargo para pré-candidato a vereador de Palmas.

 

FOLHA CAPITAL – Porque o senhor resolveu se candidatar?

ARLINDO ALMEIDA –  A minha história se mistura com a história do Tocantins, e mais ainda com a história de Palmas. Fiz parte da comissão de 8 deputados constituintes que escolheram o local onde hoje é Palmas. Foi aqui que eu criei meus filhos, hoje, meus filhos estão todos adultos. Sinto que Palmas precisa de vereadores realmente comprometidos com a cidade. Parece brincadeira, mas hoje faz mais de 100 dias que a câmara não vota uma matéria, isso é um absurdo, é muito vagabundo recebendo sem trabalhar. Palmas precisa de vereador comprometido com a cidade, isso me fez ser candidato.

Leia Também:  Com apoio dos parlamemtares, Claudia Lelis requer na AL extinção de diferencial de alíquota

 

Qual sua base de apoio?

Estou fazendo e farei uma campanha diferente. Perto do sítio onde eu moro tem 3 associações que querem que eu seja candidato. Mas só o apoio dessas associações não me elege. A partir do dia 16 de agosto, pretendo instalar um som no meu carro, e ir visitando as pessoas em suas casas e em todos os bairros. Vou fazer uma campanha diferenciada, não vou contratar boca de urna ou fazer comitê, meu dinheiro é muito pouco, vai ser com recurso próprio, não terei rabo preso com ninguém.

 

O senhor é contra ou a favor da implantação do BRT?

O BRT nos moldes que o atual prefeito quer, é totalmente inviável. Eu não sei se foi pra desviar dinheiro, como muita gente diz que foi. O BRT não está na hora dele. Tinha que preocupar com as guaritas, criar coberturas descentes para os pontos de ônibus, fazer pelo menos o asfalto, os pontos de ônibus de palmas é uma vergonha. Tem um postezinho e uma plaquinha com um desenho muitas vezes comido pela ferrugem chamado de ponto de ônibus. Ali é chuva, é lama e barro, na seca, é a poeira.

Para o senhor, quais os principais problemas de Palmas?

Um que é crônico, e não é culpa do atual prefeito, é a saúde. Nós queremos fazer um grande hospital municipal, centralizado, com atendimentos complexos E dois hospitais menores, um na região norte e outro na sul, de Palmas. Estamos precisando de UTIs, precisando de ambulâncias, de praticamente tudo, o HGP é uma vergonha.

 

Que projetos o senhor tem para geração de emprego e renda?

Palmas tem que deixar de depender do poder público. Parar de depender só do salário do Estado e da Prefeitura. Nós temos que industrializar Palmas para gerar renda, e essa industrialização de Palmas tem que passar um clima positivo ao empresariado de uma maneira geral. Trazer o empresariado de fora pra cá. Esse empresariado tem que vir com a consciência de que Palmas não pode começar com as velhas práticas, temos que industrilizar a cidade de forma sustentável, com uma visão diferenciada, não simplesmente fazer igual a china, produz de tudo, produz barato, em detrimento do meio ambiente.

 

Como o senhor vê a questão da Educação em sua região e qual seria a solução para o problema?

 Sou totalmente a favor das escolas de tempo integral. Acho que todas as escolas deveriam ser de tempo integral, mas não adianta só colocar uma placa dizendo que é uma Escola de Tempo Integral e não ter estrutura, não ter um lazer, não ter um curso de linguagens, quadras esportivas, teatro, etc. Seria um modo de ocupar as crianças para não terem tempo para a marginalidade. Para as mães terem oportunidade e tempo para trabalhar. Precisamos de que não falte o elementar, o professor e a professora qualificado.

 

Como o senhor vê a questão da expansão do plano diretor?

Tinha que ter uma revisão da maneira de ocupar. O atual prefeito, que aumentou as taxas de tudo, do IPTU, etc. Ele tinha que ter dobrado o IPTU era desses lotes que estão aí só para valorização, tudo vazio, aí sim, ele estaria fazendo um bem para a sociedade. As grandes empresas do começo de Palmas estão aqui só esperando a valorização tá na hora de começarema contribuir com o social. Tem que fazer, uma revisão do Plano Diretor. 

 

Que mensagem o senhor deixa para os eleitores palmenses?

Minha senhora, meu senhor, meus jovens, essa turma de que vai votar pela primeira vez, presta bem atenção no que está acontecendo no país, em Palmas principalmente, nesse momento, de desemprego, de recessão, de economia em baixa, vai aparecer muita boquinha, muita proposta indescente. Procure saber direito a historia da pessoa, tem muito ficha suja, leia os jornais. Ser vereador é um privilégio, porque você está falando em nome do povo, voce tem uma tribuna pra dizer o que o povo pensa e reclama. Não venda o seu voto, escolha bem.

 

 

LUIZ OTÁVIO (PSDC)

 

O comerciante Luiz Otávio, pré-candidato a vereador pelo PSDC, um dos partidos da base aliada da pré-candidata à Prefeitura de Palmas e vice-governadora (PV), Cláudia Lelis, acredita que é um dos mais preparados para assumir a Câmara de Vereadores e por isso colocou seu nome à disposição do partido.  Com 37 anos, 22 dos quais vividos em Palmas conhece a fundo os problemas e as potencialidades da Capital que ajudou a construir.  O pré-candidato, cujo comércio e residência ficam na região Sul de Palmas, acredita que a renovação da política é o caminho para a construção de uma nova realidade para o município, com a retomada do seu desenvolvimento socioeconômico. Luiz Otávio concedeu a seguinte entrevista ao Jornal Folha Capital. Confira os melhores momentos.

Leia Também:  TSE coloca embargos de Marcelo Miranda na pauta de julgamentos desta quinta

 

FOLHA CAPITAL – Porque o senhor resolveu se candidatar?

LUIZ OTÁVIO – Vejo que a melhor maneira que tenho para cumprir com a minha missão aqui na terra e ajudar as pessoas é colaborar com o social, tendo para isso a vida pública como instrumento.  A representatividade e o apoio ao social não são novidades para mim. Já fui presidente de associação de moradores, já fiz um trabalho de doação de alimentos na minha casa por três anos e vejo uma carência muito grande do poder público em não conseguir atender a todas as demandas. Eu vejo que como político poderei contribuir ainda mais para o crescimento e desenvolvimento socioeconômico da nossa cidade.

 

O que o senhor considera que tem de diferente dos políticos tradicionais?

Vejo que a maior responsabilidade de um político é administrar o bem público. É ter a consciência de que aquilo cuja missão está em suas mãos pertence a alguém e por isso precisa ter zelo e compromisso. Para isso precisa atuar em parceria com a comunidade e posso dizer que esse é o meu diferencial. É entender que o papel na Câmara de Vereadores é ser a voz do cidadão com uma legislatura transparente e que caminhe lado a lado com a comunidade.

 

O senhor tem algum projeto para a sua região?

Palmas como um todo, e a região Sul não é diferente, sofre muito com carência de empregos, portanto, precisamos criar ferramentas para que a população seja qualificada e que os comerciantes e empresários prosperem e possam aumentar a sua oferta de empregos, fazendo girar a economia na nossa cidade.

 

Qual é a sua base de apoio?

Eu já venho construindo a minha base de apoio desde o momento em que vi a necessidade de ingressar na vida pública. Hoje estou no PSDC e vejo nesse grupo a oportunidade de estar almejando o cargo, que é uma vaga de vereador da nossa Capital. Além disso, eu tive o privilégio de construir grandes amizades e estabelecer boas relações, formando uma verdadeira rede de contatos e de parcerias tanto no comércio, quanto entre a comunidade de um modo geral, em prol do bem comum.

 

O senhor é contra ou a favor da implantação do BRT?

Não sou contrário ao projeto do BRT, mas penso que não precisamos dele hoje em Palmas, até porque temos outras prioridades que inclusive podem ser atendidas a um custo bem menor, como as simples melhorias no transporte urbano convencional oferecendo abrigos, ampliando a frota e as linhas de ônibus. O atual contexto em que vivemos não permite a um gestor extravagâncias dessa natureza com o dinheiro público.

 

Que projetos o senhor defende para geração de emprego e renda?

Acredito na força do empreendedorismo, dos pequenos negócios e da qualificação da mão de obra local. Também acredito no fortalecimento do comércio com a redução da carga tributária que hoje se configura em um entrave e impede a ampliação do quadro de vagas e novos investimentos por parte dos comerciantes e empresários.      

 

Como o senhor vê a questão da Saúde em sua região e qual seria a solução para o problema?

Vejo que a administração pública precisa, em todas as esferas, estar alinhada e fazer parcerias e no caso específico da Saúde, que ofereça aos profissionais a possibilidade de dar encaminhamentos mais rápidos nas demandas e impedir o travamento do sistema como ocorre hoje. Por exemplo, temos pedidos de exames simples que poderiam ser atendidos no mesmo dia e na mesma hora, mas que acabam sendo adiados. E quando se fala em saúde pública é necessário saber que ela não espera, é um problema imediato. Na região Sul precisamos de um hospital de emergências, projeto defendido pela pré-candidata Cláudia Lelis (PV), que eu apoio completamente. Também sabemos que o atendimento nas unidades é precário, porque faltam profissionais e medicamentos e a solução é dar prioridade para este setor, porque a saúde não pode esperar.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍTICA

Inscrições para cursos preparatórios se encerram nesta sexta-feira

Published

on

A Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Tocantins (Aleto) segue até sexta-feira, 19, com inscrições abertas para os cursos preparatórios ao Enem (presencial) e concursos públicos e pré-vestibular (online). As aulas começam na próxima segunda-feira, dia 22.

Para inscrever-se no cursinho ao Enem, o interessado precisa procurar a Escola do Legislativo, no prédio da Assembleia, no período matutino. Já na modalidade EaD (Ensino à Distância), as inscrições poderão ser feitas até o próximo dia 19, pela plataforma www.escolalegto.com.br.

Na plataforma digital de ensino à distância, a Escola do Legislativo está disponibilizando vagas para 11 (onze) cursos totalmente gratuitos, com destaque aos cursos preparatórios para pré-vestibular, 130 vagas, e 80 vagas para concurso público.

Já para o curso presencial preparatório ao Enem em Palmas, são 180 vagas. Neste ano, a Escola do Legislativo vai ofertar também vagas para o curso presencial na cidade de Gurupi. As inscrições se encerram nesta sexta-feira, 19.

Atualmente, estão matriculados 1.100 alunos de 60 municípios do Tocantins. A iniciativa conta com a parceria das câmaras municipais, que são multiplicadoras nas comunidades e sempre buscaram apoio do Parlamento para capacitações e cursos de aperfeiçoamento.

Leia Também:  TSE coloca embargos de Marcelo Miranda na pauta de julgamentos desta quinta

Egressos

O estudante de Jornalismo da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Yuri Lipi, foi um dos alunos que fizeram o cursinho, e fez questão de motivar outros jovens em suas redes sociais. “Façam este curso, que é sucesso; passei para Jornalismo através dele, sem contar que os professores são os mesmos dos cursinhos particulares. Tudo grátis!”.

Ex-aluno do curso preparatório da Escola, Junio Souza também aprovou os resultados. “Eu indico: os melhores professores da capital estão dando aula lá. E outra coisa: é aberto ao público, então não perca essa oportunidade!”.

Geovanna também compartilhou em suas redes sociais as vantagens de fazer o curso. “Foi o cursinho gratuito que fiz durante uns meses antes da pandemia; grandes professores da rede particular deram aula lá. Portanto, indico a quem não tem condições de custear um privado”.

Fonte: Assembleia Legislativa do TO

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA