PALMAS

REFORMA ADMINISTRATIVA

Wanderlei nomeia novos chefes para Fazenda, Infraestrutura e Turismo

Publicado em

POLÍTICA

A reforma administrativa do governador em exercício, Wanderlei Barbosa (Sem partido), continua a todo vapor. Nesta segunda-feira (22) o Diário Oficial do Estado trouxe a nomeação de novos gestores para as secretarias da Fazenda e da Infraestrutura, um gestor executivo que deve responder pela Educação interinamente e um novo presidente para a Agência de Turismo e Economia Criativa (Adetuc).

O ex-prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, que vinha gerindo tanto a Fazenda como o Turismo foi exonerado dos dois cargos e redirecionado para o comando da Secretaria da Infraestrutura.

Para o lugar de Mariano na Sefaz foi escolhido Paulo Antenor de Oliveira. Ele é servidor de carreira da Receita Federal e já foi chefe da secretaria entre 2016 e 2018, durante o governo de Marcelo Miranda (MDB). Paulo Antenor ficou no cargo até a cassação do ex-governador. O nome deele já tinha sido cogitado para a função durante o primeiro desenho da equipe de Wanderlei Barbosa em outubro, mas não chegou a ser confirmado na época.

Já a Adetuc, que também saiu das mãos de Jairo Mariano, vai ficar sob o comando de Hercy Ayres Rodrigues Filho. Ele foi chefe de gabinete no Ministério do Turismo durante a gestão de Marcelo Álvaro Antônio, demitido em dezembro de 2020 pelo presidente Jair Bolsonaro. Rodrigues Filho vinha trabalhando com a Adetuc no Tocantins em projetos em que os governos Federal e Estadual são parceiros.

Leia Também:  Bruno Teixeira, acusado de matar empresário em Palmas é preso em Comboriú

Houve mudanças também na Secretaria de Educação. Foi publicada a nomeação de Fábio Pereira Vaz para o cargo de secretário executivo. Normalmente este seria um posto de segundo escalão, mas como Wanderlei Barbosa ainda não escolheu um titular para esta pasta, Vaz deve comandar interinamente a Seduc. A função antes era ocupada por Danilo de Azevedo Costa, que estava respondendo pela área e foi exonerado nesta segunda.

O governador em exercício está se movimentando para dar uma cara própria ao governo e tem substituindo integrantes da equipe de Mauro Carlesse (PSL), desde que o governador titular foi afastado do cargo em outubro. O afastamento foi determinado pelo Superior Tribunal de Justiça porque Carlesse é alvo de investigações sobre recebimento de propina e interferência em investigações policiais, acusações que ele nega.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Deputado ingressa com mais um pedido de cassação contra Mauro Carlesse

Publicados

em

Deputado Junior Geo ingressou com a ação contra o governador afastado

O deputado Júnior Geo (PROS) apresentou na tarde desta sexta-feira, dia 26, um novo pedido de abertura de processo de impeachment contra o governador afastado Mauro Carlesse (PSL) junto à Assembleia Legislativa devido às acusações que levaram ao seu afastamento pelo Superior Tribunal de Justiça no último dia 20 de outubro, como organização criminosa, falsidade ideológica, corrupção, embaraço à investigação, lavagem de dinheiro, entre outros.

A decisão de aceitar ou não o pedido cabe ao presidente da AL, deputado Antônio Andrade (PSL). Ele está fora do Tocantins nesta sexta-feira, participando de um evento com outros sete deputados tocantinenses no Mato Grosso do Sul.

Este é o segundo pedido de cassação contra o governador afastado Mauro Carlesse. O primeiro foi protocolado no último dia 09, por Cleiton Pinheiro, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins junto à Aleto, mas que se encontra parado na casa de leis.

Geo afirma que as operações Éris e Hygea da Polícia Federal revelaram indícios da participação do governador em supostos desvios de recursos públicos do plano de saúde dos servidores públicos estaduais, antigo PlanSaúde e, obstrução de justiça utilizando servidores de cargos de confiança e direção para impedir a Polícia Civil do Estado de realizar investigações para apurar crimes de improbidade administrativa e danos ao erário público.

Leia Também:  Magda Borba anuncia vice para eleições de 2016 em Miracema

O afastamento do governador pelo STJ tem prazo de seis meses. Atualmente, o governo do Tocantins está sendo exercido pelo vice-governador, Wanderlei Barbosa (Sem partido).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA