DIa mundial de luta contra a hanseníase

Em Palmas houveram mais de 600 casos em 2018

Saúde e prevenção andam juntas. Por esse motivo vamos falar da Hanseníase. Janeiro é o mês para falarmos da prevenção da Hanseníase, porém, não devemos nos esquecer dela o resto do ano.

Hanseníase, também conhecida como Lepra. Se não diagnosticada no começo, pode trazer sequelas para o paciente. A hanseníase é infecciosa, causada pela bactéria chamada Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen.

Em 2016 o Ministério da Saúde registrou no Brasil mais de 28.000 novos casos da doença. Aqui em Tocantins foram registrados mais de 1,3 mil casos em novembro de 2018.

Em Palmas foram mais de 600 casos. A região é considerada hiperendêmica e vem crescendo ao longo dos anos.

Para ajudar a população no combate e na prevenção da doença, foi implantado o programa ‘Palmas Livre de Hanseníase’. Esse programa tem 857 pacientes em tratamento, e desde a implantação 300 profissionais da área da saúde já participaram das formações com hansenólogo. A boa notícia é que 34 Centros de Saúde da Comunidade hoje, contam com profissionais capazes de diagnosticar e tratar a doença.

A prevenção é o melhor caminho para combater a doença. Hanseníase não é hereditária e a transmissão é feita através do convívio muito próximo e prolongado com a pessoa infectada. Existem 3 tipos da bactéria. Fique atento aos sinais, os tipos são:

Hanseníase Paucibacilar é considerada o início do estágio, conta com até cinco manchas de contornos mal definidos.

Hanseníase Virchowiana é considerada a forma mais disseminada da doença, e existe uma dificuldade para diferenciar a pele normal da afetada, e pode comprometer o nariz, rins e órgãos reprodutivos masculinos.

Hanseníase Multibacilar também conhecida como boderline ou dimorfa, o contágio é através da saliva, ou secreções do nariz. Tocar no paciente infectado não transmite a hanseníase. Os sintomas da doença se manifestam de seis meses há cinco anos, já o modo como ocorre a manifestação depende de cada pessoa. Nesse caso são detectadas manchas e placas acima de cinco lesões com contornos bem ou pouco definidos e pode comprometer dois, ou mais nervos.

A prevenção é simples: hábitos saudáveis, alimentação adequada, praticar atividade física e boas práticas de higiene pessoal. Com tudo, a melhor forma de prevenção ainda é o diagnóstico precoce e o tratamento correto.

O tratamento é gratuito em todo o território nacional pelo SUS. O tempo de tratamento varia de acordo com a bactéria e o paciente. É importante ressaltar que o tratamento é eficaz e cura. Durante o tratamento, o paciente pode conviver normalmente em meio as pessoas, sem o risco de contágio.

Fique atento a qualquer alteração na pele, ou perda de sensibilidade. Não se esqueça sensação de formigamento, dormência nas extremidades, manchas brancas e perda de sensibilidade nas manchas são sintomas de hanseníase. Qualquer sintoma detectado, procure imediatamente o posto de saúde mais próximo. 

FAÇA SEU COMENTÁRIO