Os perigos da automedicação

No Brasil, a principal causa de intoxicação são os medicamentos, segundo dados do SINITOX

Paracetamol, dipirona, aspirina, soro de nariz, quem não tem uma farmácia particular não é mesmo? São medicamentos geralmente sem tarja, consumidos para o alívio de uma dor de cabeça, coriza ou resfriado. A automedicação começa se tornar um problema quando seu consumo se trona parte da rotina na casa, o que não nos atentamos é com relação ao seu efeito colateral e nocivo para nossa saúde.

No Brasil, a principal causa de intoxicação são os medicamentos, segundo dados do SINITOX (Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas), da Fundação Oswaldo Cruz, a intoxicação por medicamentos fica à frente de produtos de limpeza, agrotóxicos e alimentos estragados.

Também é importante salientar a maneira que esses medicamentos são armazenados em casa, como: altas temperaturas ou umidade. Além de armazenar os medicamentos por um tempo maior que o prazo de validade e, acabam fazendo o uso desses medicamentos vencidos.

Trabalhando ativamente na área da saúde, tenho conhecimento de casos de doenças que foram agravadas por conta da automedicação. Vários fatores podem agravar um quadro existente e desconhecido pelos pacientes, mas, dois deles que mais ocorrem são: a automedicação esconde determinados sintomas e a combinação inadequada de medicamentos que podem até levar à morte.

O uso incorreto de medicamentos pode anular ou potencializar o efeito do outro. Se você faz o uso de antibióticos, por exemplo, pode gerar o aumento da resistência de microrganismos, o que acaba afetando a eficácia dos tratamentos. Os principais riscos que uma pessoa se sujeita ao fazer o uso de medicamentos por conta própria são:

Agravamento da doença

Mau funcionamento de órgãos, como rins e fígado

Reação alérgica

Intoxicação medicamentosa

Morte do paciente, em casos mais graves

Para evitar as intoxicações por medicamento, que geralmente ocorrem principalmente pelo uso acidental em crianças. É preciso ter muito cuidado no armazenamento dos medicamentos, os pais ou responsáveis, devem guardar em lugar seguro e longe das crianças.

Por conta de todos esses fatores, doenças que antigamente eram controladas estão virando versões mais poderosas de si mesmas, por esse motivo, a ANVISA determinou que a venda de antibióticos seja feita somente com apresentação e retenção da receita. A orientação do Ministério da Saúde é que sempre se procure um médico ao detectar qualquer problema de saúde. Não alimente uma cultura enganosa de auto prescrição e automedicação.

Como sua conselheira da área da saúde, posso te afirmar que essa prática é prejudicial para sua saúde. Procure um médico e informe todos os sintomas ao profissional. Caso o consumidor tenha algum problema com a ingestão de algum medicamento, é importante entrar em contato com o Disque Intoxicação da ANVISA pelo 0800-722-6001 e buscar ajuda o mais rápido possível. Na hora de comprar medicamentos ditos de venda livre, para tratar males menores como dor de cabeça, procure orientações do farmacêutico.

FAÇA SEU COMENTÁRIO