Osteoporose, causas e tratamento

A osteoporose reduz a massa óssea, o que deixa os ossos ocos, finos e extremamente sensíveis fazendo com que o risco de fraturas aumente

Os anos passam, e o nosso corpo começa a dar sinais do envelhecimento e de cansaço, e como acontece com a maioria das pessoas, a preocupação com a osteoporose começa muito tarde, geralmente quando a doença começa dar seus sinais.

É o osso o responsável por sustentar nosso corpo e organismo, é fonte de cálcio necessário para que o corpo realize funções como: batimento cardíaco e a força muscular. Nosso esqueleto por ser uma estrutura viva, passa por várias renovações durante a nossa vida.

O que é osteoporose?

A osteoporose é mais comum em mulheres, acima dos 45 anos deixando os ossos mais porosos e frágeis, como sua maior característica, a osteoporose tem ainda a diminuição da massa óssea, o que deixa os ossos ocos, finos e extremamente sensíveis fazendo com que o risco de fraturas aumente enquanto a idade avança, principalmente do quadril, da costela e do colo do fêmur.

Precisamos nos prevenir desde cedo, a doença é silenciosa, quase nunca apresenta sintomas antes de acontecer algo mais grave. Para nós, mulheres, essa mudança já começa aos 35 anos, quando começam as mudanças hormonais que acompanham a menopausa.

Essa mudança significativa, interfere na perda e ganho de massa óssea. Isso acontece devido à queda do nível de estrogênio, hormônio que ajuda na fixação do cálcio no osso. Já nos homens, o esqueleto se mantém praticamente intacto até os 40 anos, isso ocorre porque a testosterona barra o desgaste ósseo, o que significa que para os homens, as fraturas começam a ocorrer após os 70 anos.

Sinais e sintomas

Como a osteoporose é silenciosa, geralmente o problema só é detectado quando a doença está em estágio bem avançado, com a deformação óssea vem as dores crônicas, ou uma fratura.

Fatores de risco

• Predisposição genética
• Envelhecimento
• Dieta pobre em cálcio
• Sedentarismo
• Álcool em excesso
• Tabagismo
• Menopausa
• Diabetes
• Uso indiscriminado de corticoides
• Disfunção da tireoide

Prevenção

Como a osteoporose é causada pela perda de cálcio, a ingestão dele é importante para ajudar o organismo a repor essa carência, o ideal seria 1000 miligramas por dia, o que equivale a quatro porções lácteas, porém, outros alimentos também servem de fonte para a reposição, como: brócolis e verduras escuras, não podemos deixar de salientar que a fonte mais rica desse nutriente ainda vem do leite e seus derivados.

A vitamina D, também é uma grande aliada nesse processo, sem ela, a absorção do cálcio fica prejudicada, isso pode ser facilmente resolvido com a exposição ao sol por quinze minutos diários sem protetor, lembrando que essa prática deve ser feita na primeira hora da manhã, ou depois das dezesseis horas, e nunca com o sol a pino.

Diagnóstico

Através da densitometria óssea, a partir dos 45 anos para as mulheres e para os homens a partir dos 65 anos, o diagnóstico é feito através do aparelho que revela para o médico os valores de massa óssea, pode prever até o risco de fraturas.

Tratamento

Para conter essa perda de massa óssea, a princípio são feitos ajustes na alimentação, para uma maior ingestão de cálcio e vitamina D, se não for o suficiente, o médico pode prescrever suplementos para ajudar o organismo.

A prática de exercícios, também ajuda, desde que, o médico autorize, já que exercícios de impacto ajudam na formação de massa óssea, e ainda tem o benefício de estimular o ganho de massa e força muscular, importante para prevenir quedas.

Marttha Franco Ramos, Secretária Executiva de Saúde de Palmas e Conselheira Federal de Farmácia

FAÇA SEU COMENTÁRIO