Alquimistas para o bem

Além de ser uma data comemorativa, o dia 20 de janeiro foi indicado pelo CFF em homenagem ao aniversário da Associação Brasileira de Farmácia, fundada em 1916.

Cuidar, orientar e proteger, são verbos que podem ser conjugados por muitas formas de amar e ter responsabilidade no âmbito da saúde. Entre tantas profissões, o farmacêutico(a) se encaixa bem nesse parâmetro de envolvimento. Abrangendo muito além do balcão da farmácia, este profissional milenar entranha nos melindres dos saberes científicos em busca de atender as necessidades da população.

É por esses e outros motivos que se faz necessário prestar homenagem a esta classe tão dedicada ao ofício. Os profissionais farmacêuticos são regidos nacionalmente pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF) e em esfera regional por conselhos estaduais (CRF´s).

Na última quarta-feira, 22, a Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus) reuniu farmacêuticos e realizou uma palestra motivacional para estimular o crescimento pessoal dos profissionais. A oportunidade também serviu para lembrar a data nacional do farmacêutico, celebrada no último dia, 20.

Dia do Farmacêutico

Considerando a Lei 3.820/60, responsável por criar os conselhos regionais de farmácia e aferir personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa e financeira aos órgãos de classe, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) reconheceu por meio da portaria 406/07, a data 20 de janeiro como o dia alusivo ao Farmacêutico. Três anos após a publicação do órgão regulamentador da profissão, o dia nacional do Farmacêutico foi instituído com a publicação da Lei 12.338, sancionada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Além de ser uma data comemorativa, o dia 20 de janeiro foi indicado pelo CFF em homenagem ao aniversário da Associação Brasileira de Farmácia, fundada em 1916.

Sobre a Profissão

A profissão milenar expandiu para além das boticas coloniais, de acordo com as transformações no decorrer de seu ofício, a profissão farmacêutica teve impulso entre as décadas de 1930 e 1940 por conta do avanço da indústria farmacêutica. A produção de medicamentos foi expandida com a ascensão no período pós industrial. Seguindo a evolução da ciência, o farmacêutico passou diversos processos de reestruturação ocupacional de acordo com as diretrizes curriculares exigidas para desempenhar funções exclusivas em busca de garantir progresso profissional e bem-estar da população.

Conquistas

Entre tantos avanços a profissão contou com o fortalecimento das áreas de atuação com o vigor da resolução / CFF n° 585/13, que regula as atribuições clínicas do farmacêutico, e a publicação da resolução/ CFF n° 586/13, a qual define autonomia do serviço para exercer a prescrição farmacêutica.

A publicação da Lei 13.021/2014, regulamenta as farmácias como unidades de prestação de serviços voltada a proporcionar a assistência farmacêutica, a saúde, orientação sanitária individual e coletiva. Os estabelecimentos de saúde foram preconizados como farmácia sem manipulação (comércio de drogas e dispensação de medicamentos, insumos farmacêuticos e outros) ou drogaria e farmácia com manipulação (manipulação de fórmulas magistrais, comércio de drogas, medicamentos e insumos, entre outros).

Atualmente a profissão atua em 10 áreas as quais contemplam 135 especialidades distintas. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), referentes ao primeiro trimestre do ano de 2019, a profissão ficou em segunda posição no ranking entre as de nível superior que mais geraram empregos de carteira assinada no Brasil.

Marttha Franco Ramos, Secretária Executiva de Saúde de Palmas e Conselheira Federal de Farmácia

FAÇA SEU COMENTÁRIO