Sindicato e parlamentares lutam por piso de até R$ 7,3 mil para enfermagem

Manoel Miranda, do Sintras, afirma que enfermagem não tem sido valorizada e luta pela aprovação do novo piso nacional

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Tocantins (Sintras) vem lutando para implementar o piso nacional para a enfermagem de R$ 7,3 mil para enfermeiros, 5,1 mil para técnicos em enfermagem e R$ 3,6 mil para auxiliares e parteiras, conservando a jornada de 30 horas semanais. (continua abaixo)

Atualmente o piso é de R$ 3,9 mil para enfermeiros, 1,37 mil para técnicos e R$ 1,13 mil para auxiliares, o que representaria um reajuste de 272% para os técnicos, 218% para auxiliares e 102% para enfermeiros, em caso de implantação do novo piso.

O novo piso tramita no Congresso Nacional através do Projeto de Lei 2568/2020 de autoria do Senador Fabiano Contarato (REDE/ES) e conta com o apoio de vários parlamentares tocantinenses como o deputado federal Carlos Henrique Gaguim (DEM) e mais recentemente do senador e líder do governo na Casa Eduardo Gomes (MDB).

Gomes, que era contrário ao Projeto de Lei, disse que reviu o seu posicionamento e acredita que assim como os investimentos que estão sendo feitos em infraestrutura hospitalar, ele entende que também deve ser feito o investimento em material humano. “Estamos valorizando a saúde. Porque não valorizar os profissionais da saúde, que são o elo mais importante do serviço e estão mostrando todo o seu valor desde o início desta pandemia? Por isso eu entendo que a Lei do Piso para a Enfermagem é justo e precisa ser discutido pelo Congresso”, afirmou.

Sintras

Segundo o presidente do Sintras, Manoel Miranda é muito importante que os parlamentares tocantinenses e em especial o senador e líder do Governo Eduardo Gomes venham dando apoio ao Projeto de Lei do Piso Nacional da Enfermagem.

Ele explica que este PL é a junção de outros dois, que tramitam no congresso nacional há mais de 20 anos. “Temos uma expectativa boa que este Projeto de Lei seja aprovado no senado e em seguida vamos fazer um movimento de mobilização da categoria para a sensibilização dos parlamentares para que seja aprovado também na câmara e em seguida sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro”, afirmou Miranda.

Manoel disse ainda que considera o projeto justo, pois a enfermagem é a categoria que mais vem sofrendo com a pandemia do novo coronavírus desde o início de 2020, tanto com a sobrecarga de trabalho quanto o adoecimento e mortes pela doença. “A enfermagem vem sendo desvalorizada e desmerecida. Ninguém coloca nela a respeitabilidade e confiança que sempre tiveram frente às demandas existentes, pois os médicos atendem os pacientes e receitam o tratamento, mas que aplica o tratamento e cuida do dia a dia do paciente de perto é a enfermagem. Por isso esse é um projeto que o Sintras defende, apoia e trabalha por sua aprovação”, finalizou Manoel Miranda.

FAÇA SEU COMENTÁRIO