Jazida de minério em Palmeirópolis é leiloada no Rio de Janeiro e pode gerar cerca de dois mil empregos

Governador do Tocantins, Mauro Carlesse, acompanhado do deputado federal Carlos Gaguim e do prefeito de Palmeirópolis, Fábio Vaz, esteve na sede da CPRM, no Rio de Janeiro, onde acompanhou o leilão da jazida de minério de Palmeirópolis

O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, acompanhado do deputado federal Carlos Gaguim e do prefeito de Palmeirópolis, Fábio Vaz, esteve, nesta segunda-feira, 21, na sede da CPRM (Serviço Geológico do Brasil), no Rio de Janeiro, onde acompanhou o leilão da jazida de minério de Palmeirópolis. 

O Governador fez o pronunciamento de abertura do leilão e destacou o potencial para mineração existente no subsolo tocantinense. O governador Mauro Carlesse afirmou que no planejamento de sua gestão a mineração é um dos pilares para o desenvolvimento econômico e a geração de empregos.

“O Tocantins tem um potencial muito grande para o desenvolvimento da mineração e o nosso Governo tem feito os estudos e já projetamos que esse setor é um dos setores que irão ajudar o desenvolvimento econômico do Estado e também a geração de empregos”, afirmou o governador Mauro Carlesse.

No leilão realizado nesta segunda-feira, a empresa Perth Recursos Minerais foi a vencedora ao apresentar proposta pela jazida de Palmeirópolis, com um lance de 1,71% de Royalty sobre o faturamento bruto obtido. Segundo a CPRM, no local poderão ser encontradas jazidas de chumbo, cobre, zinco e ouro. A empresa vencedora pagará ainda R$ 1,5 milhão em bônus para o Governo Federal e vai se comprometer a investir R$ 12 milhões nos próximos três anos. A expectativa é que para a plena exploração sejam investidos mais de R$ 250 milhões, gerando cerca de 2 mil empregos na região. 

A CPRM detém cerca de 330 processos minerários, divididos em 30 blocos. Entre eles, quatro foram qualificados no Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), do Governo Federal. Escolhido como projeto piloto, o complexo polimetálico de Palmeirópolis compreende seis processos, totalizando 6.050 hectares.

Em sua fala, o diretor-presidente da CPRM, Esteves Colnago, afirmou que na próxima etapa, a jazida de Natividade, também no Tocantins, deve ser levada a leilão. O governador Mauro Carlesse solicitou celeridade também nesse processo. “O Tocantins tem pressa e queremos que os trabalhos também aconteçam na região de Natividade, que já explora calcário e pedra, mas precisamos ir além. São esses grandes empreendimentos que irão gerar empregos e tornar o Tocantins um Estado forte, industrializado e com um povo independente economicamente”, declarou o Governador.

Presentes

Também acompanham o governador Mauro Carlesse no leilão da jazida de Palmeirópolis o presidente da Agência de Mineração do Tocantins (Ameto), Aparecido Giacometo;  o secretário-executivo da Governadoria, Divino Allan Siqueira, e o empresário de Palmeirópolis, Edson Reis.

FAÇA SEU COMENTÁRIO