Amigo afirma que Leopoldo pediu que ele não dissesse nada à Justiça

Leopoldo tentou convercer amigo a não falar nada

Alex da Costa Castro, que foi um dos advogados que enviaram proposta de preços para a licitação 002/2019 da Câmara Municipal de Pequizeiro em fevereiro deste ano, confessou que o fez a pedido do amigo dos tempos de faculdade Leopoldo de Souza Lima, que disse que já prestava serviços para a Câmara Municipal, mas precisava formalizar o contrato. Para o MPE ele é testemunha no caso.

Segundo Alex foi Leopoldo quem levou até ele, na cidade de Guaraí, onde reside, todos os documentos referentes à licitação para que ele assinasse e que sequer participou da sessão de julgamento da licitação, que sagrou a proposta de Leopoldo vencedora.

Alex disse ainda que após ter sido procurado pela Folha Capital questionou Leopoldo sobre o certame, que teria afirmado que se tratava de perseguição política pelo tio dele ser presidente da Câmara de Vereadores e que só neste momento entendeu a gravidade da situação.

Inocente

“Não sabia que Leopoldo tinha parentesco com o presidente da Câmara e informei que não iria carregar o peso de uma mentira diante do Poder Judiciário”, afirmou Alex, dizendo ainda que Leopoldo havia pedido para que ele não falar nada. Alex afirma que acreditava que estava ajudando um amigo e só fez isso por não saber que estava incorrendo em qualquer ilegalidade.

Para o MPE “a contratação de Leopoldo Lima, capitaneada por Valdez Sousa, não passou de um engodo, uma subestimação da inteligência da sociedade de Pequizeiro”.

FAÇA SEU COMENTÁRIO