PALMAS

SAÚDE

Referência para todo o Tocantins, Hospital e Maternidade Dona Regina completa 23 anos

Publicado em

SAÚDE

O Hospital e Maternidade Dona Regina Siqueira Campos (HMDR) completa 23 anos nesta terça-feira, 21. A unidade hospitalar surgiu com a descentralização dos serviços de ginecologia, obstetrícia e pediatria do Hospital Referência de Palmas, em junho de 1999 e, na época, contava com 94 leitos e 195 funcionários.

“Ao longo destes 23 anos, foram muitos avanços e conquistas. Diretamente, a unidade hospitalar já beneficiou cerca de 400 mil pessoas. O Dona Regina é a maior maternidade pública do Estado e referência em atendimentos maternos para as usuárias do Sistema Único de Saúde”, enfatiza o diretor-geral do HMDR, Iatagan Barbosa de Araújo. 

A fisioterapeuta obstétrica e doula, Carolina Barrionuevo, trabalha no Hospital e Maternidade Dona Regina desde 2006 e teve seu segundo filho na unidade. “Tive meu filho João Teodoro aqui no hospital, em 2010, de parto normal e, para mim, foi uma bênção e alegria muito grande. Ele precisou de cuidados intermediários após o nascimento, porém foi bem assistido. Depois que tive meus filhos, valorizei mais o meu trabalho”, informa.

Além de usuária, Carolina Barrionuevo atualmente é servidora na maternidade. “Hoje, eu trabalho na humanização do hospital, capacitando as mamães e sei que esse trabalho faz toda a diferença no trabalho de parto. Sou muito feliz no meu trabalho. É gratificante ver a evolução da unidade nesses anos”, conta a fisioterapeuta.

A confeiteira Antônia Geisa Oliveira teve dois partos assistidos na maternidade. “Nas duas vezes em que estive no Dona Regina, fui muito bem acolhida pela equipe multiprofissional, que não mediu esforços na realização dos procedimentos que eu necessitei. Sou grata por isso e parabenizo a todos que fazem parte dos 23 anos da maternidade”, afirma.

Leia Também:  Beneficiárias do Cras Karajá ll participam de oficina para renda

O secretário de Estado da Saúde, Afonso Piva, destaca a qualidade da equipe multiprofissional que atua no HMDR. “Para isso, temos trabalhado no sentido de melhorar a estrutura da unidade que vai funcionar em outro local e manteremos os profissionais que prestam um serviço de qualidade às famílias usuárias do SUS”, informa.

“Todos temos um pouco de história no Dona Regina, minha esposa mesmo já foi acolhida pela equipe do Banco de Leite Humano, da unidade”, afirma Afonso Piva, acrescentando que “é um momento festivo e de agradecimento aos profissionais pela atuação”.

Um pouco da história

Em 2002, o HMDR inaugurou o banco de leite humano e conquistou o título de hospital amigo da criança. Já em 2008, o hospital foi ampliado e, em 2010, passou a oferecer às parturientes o direito de acompanhante de livre escolha na hora do parto e recebeu a certificação do método canguru. Em 2011, a unidade hospitalar aderiu ao programa Rede Cegonha e implantou o Serviço de Atenção Especializada às Pessoas em Situação de Violência Sexual (Savis).

O hospital oferece atendimento integral à mulher e ao bebê e é referência em cirurgia pediátrica neonatal; medicina fetal; cirurgia neurológica neonatal; urgências/emergências clínicas e cirúrgicas ginecológicas obstétricas e alta complexidade em neonatologia para todo o Tocantins.

Leia Também:  Conselho Estadual de Saúde do Tocantins inicia inscrições para Conferências Macrorregionais de Saúde Mental

Atualmente, a unidade conta com 105 clínicos e 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal.

Atendimentos

O Hospital e Maternidade Dona Regina realiza, em média, 450 partos por mês. Em 2021, foram realizados 5.370. De janeiro a abril de 2022, já foram realizados 1.750 partos.

Em 2021, a unidade realizou 23.052 atendimentos de urgência, 10.757 atendimentos ambulatoriais, 7.450 internações de mulheres, 1.505 internações de recém-nascidos, 309 cirurgias em mulheres, 109 cirurgias em recém-nascidos, entre outros procedimentos.

De janeiro a abril de 2022, foram realizados 7.211 atendimentos de urgência, 4.044 atendimentos ambulatoriais, 2.399 internações de mulheres, 516 internações de recém-nascidos, 107 cirurgias em mulheres e 38 cirurgias em recém-nascidos.

A fisioterapeuta obstétrica e doula, Carolina Barrionuevo, foi usuária do HMDR e é servidora da unidade – SES/Governo do Tocantins

A confeiteira Antônia Geisa teve dois partos no Dona Regina – Divulgação

Hospital e maternidade oferece atendimento humanizado – SES/Governo do Tocantins

HMDR conta com Banco de Leite Humano – André Araújo/Governo do Tocantins

Unidade hospitalar tem 20 leitos de UTI neonatal – SES/Governo do Tocantins

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Profissionais do HGP são qualificados sobre cuidados paliativos e uso de acesso subcutâneo na assistência aos pacientes

Publicados

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) promoveu nesta sexta-feira, 24, o curso Cuidados Paliativos e o uso do acesso subcutâneo (hipodermoclise) na assistência aos pacientes, voltado para médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos do Hospital Geral de Palmas (HGP).

A qualificação foi coordenada pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP) em parceria com o Serviço de Cuidados Paliativos da unidade, na Escola Tocantinense do Sistema Único de Saúde (Etsus). “Nossa equipe se esforça diariamente para acolher da melhor forma as demandas de pacientes e familiares, com intuito de proporcionar alívio de sofrimento e que esse paciente possa viver o mais ativamente possível. É ofertada uma abordagem multiprofissional em todo o processo de assistência”, afirmou a médica paliativista e coordenadora do Serviço de Cuidados Paliativos do HGP, Jéssica Orsolin.

A especialista explica ainda que o trabalho busca respeitar sentimentos, valores, preferências e sentido de vida dos pacientes, para que as melhores decisões no cuidado sejam tomadas. “Focamos no cuidado de maneira individualizada, promovendo o alívio da dor e outros sintomas desagradáveis, integrando outras dimensões do cuidado, como a psicológica, social e espiritual. Oferecendo um sistema de suporte que possibilite o paciente viver tão ativamente quanto possível ao lado de seus familiares até o momento da sua partida”, informou.

Leia Também:  Pagamento de passivos beneficia 2.931 servidores da capital

A farmacêutica da Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), Izabel Ferreira dos Santos, participou pela primeira vez. “Acho de grande valia esse curso. Temos a oportunidade de conhecer um pouco mais da realidade dos pacientes paliativos. Somos uma equipe e podemos contribuir no tratamento e na qualidade de vida desses pacientes”, concluiu.

Outra profissional presente foi a enfermeira da oncologia, Amanda Moraes, que avaliou a capacitação como importante para profissionais. “Vem trazer conhecimento para que possamos desempenhar da melhor forma possível e oferecer um bom atendimento ao usuário”.

Educação permanente

A responsável pelo NEP, Vanessa Salgado, explica que a atuação do núcleo nesse processo visa qualificar a assistência prestada ao paciente. “A capacitação colabora com a missão de levar ações de educação permanente aos nossos colaboradores. Essa ação tem um grande potencial frente ao colaborador, por se aproximar da realidade da assistência, levando atendimento às suas necessidades de qualificação”, declarou.

Serviço de Cuidados Paliativos

O Serviço de Cuidados Paliativos do HGP se tornou referência para pacientes de todo o Estado. O setor conta uma equipe multiprofissional qualificada na assistência composta por médicos, assistentes sociais e enfermeiro, recebendo apoio de outros profissionais de saúde.

O Serviço de Cuidados Paliativos do Hospital Geral de Palmas se tornou referência para pacientes de todo o Estado – Luciana Barros/Governo do Tocantins

Leia Também:  Reunião de Plano Artístico Cultural acontece nesta sexta-feira

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA