PALMAS

Estado

Greve dos bancários fecha 111 agências no Tocantins

A greve iniciou nesta terça-feira, 6, em todo Brasil e segue por tempo indeterminado. Ao total são 158 agências no Estado, sendo que 111 ficaram de portas fechadas.

Publicado em

No primeiro dia de greve 70% das agências bancárias ficaram de portas fechadas no Tocantins. A greve iniciou nesta terça-feira, 6, em todo Brasil e segue por tempo indeterminado. Ao total são 158 agências no Estado, sendo que 111 ficaram de portas fechadas. Em alguns municípios todas as agências foram fechadas, como o caso de Araguaína.

 

Neste ano a categoria reivindica reajuste salarial de 14,78%, que representa o INPC projetado de 9,31% mais 5% de aumento real.  No fim da tarde de hoje a Federação Nacional dos Bancos marcou reunião com os sindicatos para retornar as negociações na próxima sexta-feira, 9, às 11h em São Paulo.

 

O presidente do Sindicato dos Bancários do Tocantins (SINTEC-TO), Crispim Batista Filho, explicou que devido ser o primeiro dia de greve e véspera de feriado, muitos bancários ainda estão se organizando, mas a adesão já foi significativa.

 

“A mobilização com a categoria é para todos aderirem e por ser o primeiro dia, sem dúvida já foi positiva”, afirmou o presidente. Se considerarmos a quantidade de funcionários o alcance da greve é bem maior que 70%, considerando que uma única agência das cidades maiores como Palmas e  Araguaína corresponde muitas vezes ao triplo ou até mais de um banco do interior”, destacou o presidente.

Leia Também:  Estado do Tocantins reduz de 27% para 18% alíquota de ICMS de prestação de serviços em comunicação

 

A diretoria do SINTEC-TO esteve reunida ainda no fim desta tarde para fazer o balanço do primeiro dia de paralisação. Foi discutida ainda a organização e como as ações que serão desenvolvidas nos próximos dias.  A avaliação feita foi positiva.

 

Outras reivindicações

 

Os bancários ainda reivindicam auxílio alimentação, participação nos Lucros ou Resultados (PLR) equivalente a 15% do lucro líquido do exercício de 2016, mais saúde e segurança, combate ao assédio moral, isonomia nos bancos públicos dentre outras.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Estado

Ação inédita da Serasa oferece negociação de dívidas com parcelamento sem juros, para 1,25 milhão de débitos no Norte

Published

on

Em parceria com 45 empresas, a ação oferece condições especiais, durante todo o mês de agosto

Em função do cenário econômico e o aumento do endividamento das famílias brasileiras, a Serasa se juntou a 45 outras empresas de diversos setores para buscar soluções para auxiliar o consumidor a renegociar suas dívidas. Por meio dessa parceria, o Serasa Limpa Nome irá disponibilizar, durante todo o mês de agosto, mais de 80 milhões de débitos para renegociação, no país, em até 36 vezes sem juros, sendo 1.254.375 na região Norte.

No Pará, estão sendo disponibilizados 565.528. No Amazonas, 300.943; no Tocantins, 107.667; em Rondônia, 93.584; no Amapá, 74.307; no Acre, 72.807; e, em Roraima, 39.539.

As negociações podem ser realizadas pelos canais digitais da Serasa e presencialmente nas mais de 6 mil agências dos Correios distribuídas pelo país. Além das condições especiais de parcelamento, o consumidor pode ainda encontrar os tradicionais descontos de até 90%, sempre oferecidos pelo Serasa Limpa Nome, maior plataforma de renegociação de dívidas do país.

Leia Também:  Carlesse sanciona lei que beneficia doentes renais como portadores de deficiência

A ação surgiu depois de a Serasa realizar uma pesquisa que ouviu 2.645 endividados de todo o país. O levantamento mostrou que descontos e parcelamentos sem juros são os maiores motivadores para o consumidor quitar suas dívidas. “É a maior ação de negociação com parcelamento sem juros já realizada no Brasil”, diz Ignacio Dameno, diretor do Serasa Limpa Nome.

Para Aline Maciel, gerente do Serasa Limpa Nome, essa é uma solução buscada pelas empresas para que os brasileiros endividados possam recuperar o poder de compra sem impactar a renda mensal. “Quando um inadimplente renegocia o débito, a dívida sai do seu nome logo após pagar a primeira parcela, o que o auxilia a retomar crédito”, explica Aline. “A ação foi a maneira que as empresas envolvidas encontraram para conter a alta da inadimplência”, complementa.

Empresas participantes: Claro; Ativos; Atlântico; Banco BMG; Banco Digio; Banco Digio; Banco Inter; Banco Losango; Banco Neon; Boticário; Bradescard; Bradesco; Bradesco Financiamentos; BTG +; Carrefour; Crediativos; Credsystem; Digio; DmCard; Eudora; FortBrasil; Grupo Tracker; Havan; Hoepers; Intacto; Ipanema; Itapeva; Itau; MGW Ativos; Money Plus; Multi Crédito; Nalin; Net; Nextel; Recovery; Renner; Riachuelo; Santander; Sascar; Sicoob; Sorocred; Uze; Via Varejo; VoxCred; Zema.

Leia Também:  Região norte do Tocantins tem Ordem de Serviço autorizada pelo Governo e receberá obras em rodovias estaduais

A Serasa reforça que as ofertas disponíveis na Ação de Parcelamento não aplicam juros sobre o acordo de parcelamento, mas a dívida negociada pode conter os juros de atraso do pagamento.  As negociações pelas agências dos Correios que oferecem as condições e os descontos especiais da campanha podem ser realizas mediante o pagamento de uma taxa de R$3,60.

O consumidor pode conferir se tem parcelas sem juros disponíveis por meio dos canais oficiais da Serasa: site serasalimpanome.com.br; App Serasa no Google Play e App Store; ligação gratuita 0800 591 1222; e WhatsApp 11 99575–2096.

Sobre a Serasa
Com o propósito de revolucionar o acesso ao crédito no Brasil, a Serasa oferece um ecossistema completo voltado para a melhoria da saúde financeira da população com produtos e serviços digitais.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

CIDADES

POLÍTICA

POLÍCIA

MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA